Estão a enterrar o Sport Lisboa e Benfica. 11/12/2017 23:01 Geração Benfica


    ...temos um administrador que vem vangloriar-se de que os benfiquistas vão ter que continuar a pagar BTV e SportTV para verem o seu clube.

    Vêm falar na criação da Rádio Benfica como se isso desse campeonatos, compensasse a miséria da Liga dos Campeões, ou o desinvestimento no plantel do futebol principal.

    Vêm pedir "união" como se fizessem parte de algum partido político ou se os benfiquistas lhes devessem qualquer tipo de seguidismo. Mais ridículo ainda quando o apelo vem de um empregado(mais um) de Vieira.

    Enquanto isso, o SL Benfica vê a intimidade das suas comunicações completamente devassadas, mesmo que algumas estejam adulteradas, e os colaboradores do SLB vêm os seus acessos expostos na internet.

    Em qualquer empresa séria, toda a administração estaria no olho da rua. 

    Nos tempos em que o Sport Lisboa e Benfica tinha no seu associativismo a sua principal força, em que sócios com um ano de antiguidade não tinham 50 votos na mão só porque são presidentes de uma Casa, em que sportinguistas com "meia dúzia de anos de Benfica" não tinham 50 votos, a direcção seria demitida e convocadas novas eleições com esta corja obliterada do clube.
    Num clube íntegro, escumalha como Pedro Guerra, Pragal Colaço ou José Manuel Antunes seriam proibidos de entrar nas instalações do Sport Lisboa e Benfica. 

    Um presidente que realmente se preocupasse com o nome e integridade do clube tomaria medidas "para ontem" e dessa forma sossegaria os adeptos, sócios e accionistas.

    Mas a única pessoa que Luis Filipe Vieira quer sossegar é Jorge Mendes. 

    Os benfiquistas para Vieira? Todos sabemos o que Luis Filipe Vieira diz aos benfiquistas.


    Exclusivo: "Ainda vamos a tempo...para o Penta!", por Rui Gomes da Silva 11/12/2017 10:00 Geração Benfica


    AINDA VAMOS A TEMPO ... PARA O PENTA!


    Depois da vitória contra um Estoril renovado, que vai, por certo, fazer uma grande segunda volta e continuar na Primeira Liga ... ainda vamos a tempo ... do penta!

    Apesar de ... :


    1. BENFICA FOI A PIOR EQUIPA DA LC ESTE ANO E A NONA PIOR DE SEMPRE

    Sejamos realistas!

    Não como diziam os “estudantes” de Maio de 68, em França, para ... “pedir o impossível”, ... mas para ter a noção do que foi a nossa campanha europeia, esta época.

    Pior do que isto - em termos de imagem internacional - só os 7-0 de Vigo, de 25 de Novembro de 1999.

    Mas como ninguém vive só de passado ... mas, antes, de expectativas em relação ao futuro ... ainda poderemos ir a tempo do penta!

    Porque ... por muito tristes que estejamos - nós, benfiquistas - depois desta péssima, horrível mesmo, campanha europeia, há uma enorme distância entre 1999 e 2017!

    Mas será sempre bom não esquecer que, no futebol, ... “o poder vem do campo”!


    2. 2017 NÃO SE PODE COMPARAR A 1999 ... MAS TEMOS DE OUVIR OS ADEPTOS


    Digo e repito!

    1999 não se pode comparar a 2017.

    Digo-o e repito-o ... para que depois, algumas “virgens ofendidas” não apareçam a tentar credibilizar-se à custa do que eu ... não disse!

    Não, não tem!

    Eu sei!

    Mas não podemos deixar de escutar a voz dos adeptos!

    Dos que sofrem e dos que entendem o Benfica como parte da sua vida ... chorando com as derrotas e chorando, ainda mais, mas de alegria, com as vitórias ... desde que se conhecem a si mesmos!

    Pois esses adeptos, com quem vou interagindo nesta coisa extraordinária das redes sociais, não estão nada felizes!

    Mas, ainda assim, continuam, na sua grande maioria, a acreditar que Rui Vitória vai ganhar ... 3 campeonatos em 3 anos!

    Ou seja, apesar de uma desilusão total (vergonha, mesmo), com a nossa prestação na Europa, com um planeamento da época “muito infeliz”, ... há uma fé enorme na conquista do penta!


    3. PENTA? OBRIGATORIAMENTE.


    Perante isto ... penta ... obrigatoriamente!

    Eu sei que houve alguma infelicidade nesta nossa participação na LC.

    Mas temos de reconhecer que não é nada normal ver um ex Campeão Europeu, um cabeça de série, um clube ... tão bem gerido, ... a passar por esta situação!

    Que isso faça pensar quem tem obrigação de o fazer, neste momento!

    Como me fartei de dizer, ... como mil vezes repeti (a que era a versão oficial, durante anos), no Benfica - depois de 2000 - houve ... um tempo para salvar o clube, ... outro para equilibrar as finanças, ... outro (o de sempre, a partir de então) para ganhar.

    Podemos perder por não termos sido superiores!

    Mas não podemos perder por qualquer outra razão.


    4. PROJETO? GANHAR (O “RECADO” QUE TODOS ME PEDEM PARA ENVIAR ... COMO AINDA ESTE FIM DE SEMANA ... NA CASA DO BENFICA DE ALFÂNDEGA DA FÉ)!


    Vamos então pedir a quem tem essa responsabilidade para mudar - em Janeiro, porque ainda vamos a tempo - o que acha que tem que ser mudado, ... para comprar o que acha que tem que ser comprado, ... para, sem erros próprios, sem sobranceria, sem arrogância ... sermos capazes de conquistar o penta!

    Há um único projeto que une e galvaniza os sócios do Benfica: ganhar!

    Ganhar, ganhar, ganhar!!!

    “O nada nos afasta ...” que ouvi um dia destes ... já não diz nada a ninguém e muito menos aos sócios, aos adeptos, aos simpatizantes do Benfica!

    Porque o único projeto de que não querem ser afastados ou não deixar que sejam afastados é um só: ganhar!

    Essa é a razão do nosso amor ao Benfica!

    Ganhar!


    5. VAMOS LÁ AO PENTA 37


    Por isso ... vamos lá ao penta 37!!!

    Depois de tudo isto, o Benfica pode ganhar o campeonato? Pode e eu - no que depender de mim, sabem todos - vou ajudar. Quero é que o Benfica ganhe.

    Porque, ao ganhar o Benfica, ganhamos todos nós! Por agora, mãos à obra!

    Vamos todos ajudar ... para que o penta seja nosso!

    Até por uma dupla razão adicional: para que não ofereçamos o título a um clube intervencionado (liderado por um dirigente não “grande”, mas antes condenado por corrupção) ou a outro que vive do duplo mito que nós (mea culpa) criámos!

    Como eu escrevi publicamente no fim da pré época de 2014 ...


    “... DEU PARA VER ... O QUE TINHA QUE SER VISTO ... POR QUEM TEM OBRIGAÇÃO DE VER! AGORA ... FAZER O QUE TEM DE SER FEITO ... POR QUEM TEM OBRIGAÇÃO DE O FAZER!”



    Carrega Benfica!!!

    EM TEMPO 1:
    O presidente do Sport Lisboa e Benfica anunciou que tencionava “pagar a dívida neste mandato”!
    Anúncio recorrente, em todos os mandatos, sempre que ... “a coisa está tremida”!

    Levo esse anúncio à guisa de mais uma forma de desviar as atenções da equipa, tirando, com isso, pressão a Rui Vitória e aos jogadores para o “ataque” ao penta! De líder!

    Até porque, quanto ao seu “anúncio” (uns milhões de decibéis acima ... em termos de linguagem ... ao “é indiferente ouvir ladrar”), ou passa pela cessão de exploração da marca ... para a China, por exemplo, ou pela antecipação dos direitos televisivos, ... ou pela perca da maioria do Clube na SAD.

    Se sobre a primeira pode ser uma solução, embora não acredite em nenhuma dessas propostas do “Império do Sol Nascente” (e muito menos de quem as veicula), ... já a segunda acho ter dificuldades juridicamente insuperáveis, ... estando 1.000% contra a terceira (tanto quanto o próprio Presidente, quanto sei).

    Mas, seja o que for, ... como tudo terá que ser discutido em AG do Benfica ... temos muito tempo!

    EM TEMPO 2:
    Na sexta-feira, dia de Nossa Senhora - que protege os menos cultos, apesar de muito voluntariosos - escrevi na minha página de FB:


    Acompanhava a publicação a foto acima de Fernando Pessoa (no Chiado, perto do meu escritório), com um cachecol do Benfica. Não falava em nomes e muito menos num jogo de volei que o Benfica venceu.

    Percebi - já a noite de domingo ia longa - que alguém publicou uma resposta ... a outro post que não o meu, julgando ser o meu. Confusões...

    Ou como eu diria na sexta, ... "Ai Fernando, Fernando ... razão tinhas tu..."!
    Fernando Pessoa, para os menos avisados, para não pensarem poder ser qualquer outro!

    Árbitro ameaçado em portal do FC Porto falha em Setúbal. 10/12/2017 22:57 Geração Benfica


    O que levou Tiago Martins a validar o primeiro golo do FCP em Setúbal não sei.

    O que não há qualquer dúvida é que estamos perante mais um caso de um árbitro ameaçado por adeptos do FC Porto que se intimida apitando o clube condenado por corrupção.

    Lembro que denunciamos em exclusivo as ameaças a Tiago Martins a 11/04/2017 no post "Árbitro Tiago Martins alvo de novas ameaças por adeptos do FC Porto." em que foi divulgado o domicílio profissional do árbitro e feito um apelo a que o árbitro fosse visitado.

    Depois olhamos para as instruções da comunicação do FCP aos comentadores azul-corrupto cuja única missão é gritar e interromper, como mal educados que são por natureza, e desviar as atenções falando em emails. Rodolfo Reis não faz outra coisa no Play-Off de domingo e estou certo que Guilherme Aguiar fará exactamente o mesmo no "O Dia Seguinte" de segunda-feira.

    Aliás, Rodolfo Reis deveria corar de vergonha ao lembrar os jogos que fez contra o FC Porto como treinador.

    Podemos estar zangados com o fraco futebol apresentado pelo Glorioso e por muitas outras coisas da vida interna do SL Benfica, mas nunca vamos deixar passar em claro o que o FC Porto anda a fazer. 

    Mais uma vez o FC Porto tem um jogo desbloqueado por um erro de arbitragem.

    Superioridade 10/12/2017 22:42 Tertulia Benfiquista

    Uma vitória justa do Benfica, num jogo que até poderia ter sido mais fácil do que efectivamente foi. A nossa superioridade foi evidente, mas se o resultado acabou por não ser muito dilatado foi também por mérito do Estoril, que nunca se deu por vencido e veio à Luz para jogar futebol e não para tentar impedir-nos de jogar.

     

     

    No regresso ao onze base do campeonato, assistimos a um jogo que no papel seria extremamente desequilibrado, já que defrontávamos o último classificado. Mas no campo acabou por ser bastante interessante, também por mérito do Estoril, que se apresentou interessado em jogar um futebol positivo, sem exageradas cautelas defensivas e sem recorrer ao antijogo. Foi por isso um jogo aberto e disputado a um bom ritmo, por oposição à grande maioria dos jogos com este perfil a que acabamos por assistir na Luz durante uma época. O Estoril tentava jogar com as linhas bastante subidas e em todo o campo, e com isso deixava sempre muito espaço nas costas da defesa, o que até obrigava o Moreira a jogar quase mais como líbero. Foi explorando esse espaço e as faixas que o Benfica ia criando perigo. O primeiro grande momento de perigo surgiu quando o Moreira foi desarmado pelo Pizzi, mas depois o nosso jogador foi demasiado egoista e optou pelo remate quando tinha colegas em melhor posição no centro da área. De qualquer maneira o jogo começou a simplificar-se cedo, já que não foi preciso esperar muito para que, no espaço de cinco minutos, marcássemos dois golos - aos treze e aos dezoito minutos. Um prova da forma relativamente aberta como o Estoril tentou jogar é o facto dos nossos dois primeiros golos terem surgido em lances de contra-ataque. O primeiro começou com o Krovinovic a conduzir a bola desde a entrada da nossa área até ao meio campo, onde foi desarmado mas a bola seguiu para a esquerda, onde o Cervi continuou a progressão até fazer o passe para o interior da área. Parece-me que a intenção dele seria servir o Jonas no meio, mas ainda houve um ligeiro desvio por parte de um defesa do Estoril e a bola acabou por seguir para o segundo poste, onde surgiu o Salvio para marcar sem grande dificuldade. No segundo, foi o Salvio a desmarcar-se pela direita após uma tabela com o André Almeida, a seguir até à linha de fundo, e a assistir o Jonas no meio para ele marcar facilmente. Continuando a tentar aproveitar o muito espaço nas costas da defesa adversária, o Benfica ia-se mostrando perigoso e ameaçando voltar a marcar. Mas como disse o Estoril nunca baixou os braços, e apesar de não ter conseguido pressionar-nos de forma consistente, conseguia esporadicamente chegar com perigo à nossa baliza, tendo obrigado o Varela a fazer uma grande defesa durante a primeira parte. Já mesmo a acabar a primeira parte, nada pôde fazer perante o cabeceamento fulgurante do Kléber, que ainda fez a bola embater na barra antes de entrar e assim recolocou o Estoril na discussão do resultado.

     

     

    E começámos a segunda parte com um enorme susto, quando um remate de fora da área ainda desviou num jogador nosso e obrigou o Varela a mais uma enorme intervenção. Teria sido o golo do empate, e provavelmente significaria um jogo completamente diferente. O Benfica pressentiu o perigo e foi à procura do golo que desse maior tranquilidade na partida, o que acabou por conseguir ao fim de um quarto de hora. Desta vez não foi num lance de contra-ataque, mas sim numa boa jogada ofensiva, na qual o Krovinovic parecia estar já em boa posição à entrada da área para tentar o remate, mas em vez disso optou por soltar a bola mais para a esquerda no Cervi, que depois a devolveu já para o interior da área, onde o mesmo Krovinovic se antecipou a um defesa e a empurrou para a baliza. Poder-se-ia pensar que o jogo estaria mais ou menos resolvido mas, conforme disse, o Estoril não nos fez a vida fácil e continuou a lutar por um resultado positivo. O Benfica também me pareceu ter mostrado aquela sua má faceta de descansar imediatamente a seguir a marcar, e nos minutos que se seguiram ao nosso golo o Estoril apareceu mais junto da nossa área. E voltaram a assustar, porque a bola chegou mesmo a entrar na nossa baliza, numa recarga do Kléber após uma defesa por instinto do Varela. Mas logo na altura pareceu-me que o golo tinha sido obtido com o braço, e após alguns momentos de expectativa o vídeo-árbitro acabou por confirmar isso mesmo, poupando-nos a uma fase final do encontro cheia de preocupações. Provavelmente pensando já no jogo a meio da semana o Benfica foi também poupando alguns jogadores (Fejsa, Jonas, Salvio) mas mesmo assim, à medida que o jogo caminhou para o seu final, os riscos corridos pelo Estoril davam espaço suficiente para que o Benfica ameaçasse ampliar a vantagem - num desses lances só mesmo uma saída quase suicida do Moreira que resultou num corte quase miraculoso com a cabeça é que evitou o golo. Mas em geral parece-me que o resultado final se ajusta ao que se viu em campo, e se fosse mais dilatado talvez fosse uma penalização excessiva para o Estoril.

     

     

    Começo por destacar neste jogo os extremos, Salvio e Cervi. Um golo e uma assistência para o primeiro e duas assistências para o segundo são números que mostram a influência que tiveram neste jogo. Gostei também do Krovinovic, embora ache que por vezes tem tendência para se agarrar demasiado à bola e com isso acaba por travar algumas possibilidades de contra-ataque. Por último, uma menção para o Varela. Já escrevi anteriormente que parece ter regressado à baliza com muita motivação para agarrar a oportunidade, e neste jogo voltou a mostrá-lo. Não teve muito trabalho, mas conseguiu ter pelo menos três intervenções de altíssima qualidade.

     

    Era importante vencer, e de forma convincente. Creio que esse objectivo foi conseguido, e que conseguimos também fazer uma boa gestão do esforço para o difícil jogo que se segue contra o Rio Ave, a contar para a Taça de Portugal. Não sendo uma exibição deslumbrante, foi minimamente segura para me deixar confiante em relação ao jogos que se seguem.

    Querido Pai Natal... 10/12/2017 16:44 Geração Benfica


    E era só isto, Obrigado e Boa tarde!

    Benfica 3 - 1 Estoril: "Malta, Houve Aqui Um Bom Jogo ou Não?" 10/12/2017 11:34 RedPass

    _JPT2033.jpg

     Desta vez começo pelo fim. Vale a pena recuperar as conferências de imprensa dos treinadores pós jogo.

    O treinador do Estoril, Ivo Vieira, mostrou-se farto dos não assuntos à volta de um jogo em que ele é protagonista directo e, por isso, queria falar das suas opções, das suas opiniões, das suas reacções sobre o jogo de futebol em que a sua equipa participou. Fartou-se e disparou: "Malta, hoje aqui houve um bom jogo ou não?". É uma pedrada no charco. O Ivo perdeu o jogo, a sua equipa está numa posição perigosa na tabela mas quis passar a mensagem que assistiu a um bom jogo de futebol com um resultado final que não era o que ele queria.

    Uma atitude que é um estaladão fortíssimo nos representantes da comunicação social presentes naquela sala. O Ivo Vieira perdeu e mostrou que se está nas tintas para o esterco em que a comunicação social insiste em viver e sempre a puxar o povo e os protagonistas para ele.

    O Ivo Vieira sabe que a sua equipa vale mais que os pontos que apresenta agora na tabela classificativa. O Ivo Vieira entende que uma equipa que tem o excelente Lucas Evangelista e o eficaz Kléber a actuar só pode melhorar e fazer uma 2ª volta melhor. Eu também acho. Agradeço-lhe a postura e desejo sinceras felicidades.

     

    Por seu lado, Rui Vitória a dada altura da sua conferência de imprensa deu-se ao trabalho de contar até sete. Foi apontando o dedo aos jornalistas contando de um a sete. Todos lhe fizeram perguntas fora do contexto do jogo jogado. A excepção foi a BTV e o oitavo jornalista. Insistiu em explicar que não ia ali para alimentar ruído, isto é, recusou ser puxado para o tal esterco. Bem.

     

    Ora, por esta amostra fica muito claro quem quer viver no esterco, quem puxa o futebol para o lado negro, quem vive deste ruído, quem precisa de alimentar os animais do esterco. Neste aspecto, fica ainda mais claro quando a meio de um jogo de futebol, que estava a ser interessante e emotivo, um desses animais, personagem principal desta fábula, se pronunciou. Repito, a meio do jogo do tetra campeão a notícia passou a ser o esterco agitado:

    pol.jpg

     Pois bem, este destaque é dado pelos mesmos que nos dias de clássicos e derbys apresentam capas todas bonitas a apelar ao fair play com frases lindas como "divirtam-se", fazendo de conta que não são eles que transformaram isto num gigante esterco irrespirável.

    Os treinadores das duas equipas deram uma clara resposta à hipócrita e decadente comunicação social. Para que não fiquem dúvidas, os protagonistas estão fartos desta sujidade. Imaginem os adeptos que só querem saber de futebol...

     

    Quanto ao Benfica - Estoril, o Benfica tinha duas obrigações, voltar a jogar com a sua melhor equipa e ganhar, dar continuidade ao bom ciclo de resultados em provas internas. Cumpriu.

    Não restam dúvidas que o 4-3-3 veio para ficar e com ele chegou um determinado e decisivo Krovinovic que joga e faz jogar. Os dois alas ganham, cada vez mais, importância na equipa e é de lá que vem o apoio decisivo para que se marquem golos. Cervi e Salvio, importantíssimos para apoiarem o trabalho de Krovinovic e Pizzi pelo meio e ligarem o jogo ao superior Jonas.

    Os problemas aparecem mais atrás e quando a equipa até está em vantagem no marcador. Continua a haver dificuldade em controlar o jogo do adversário, foi assim que o Estoril andou sempre perto de discutir o resultado porque depois do 2-0 não se conseguiu matar a partida. Neste momento, é o que me parece que dá mais trabalho ao treinador, acertar a postura defensiva e gerir vantagens.

     

     

     

    Fica sempre a ideia que quando a equipa do Benfica acelera o processo de jogo acaba por ser feliz porque tem protagonistas do meio campo para a frente com uma qualidade incomparável na nossa liga. Acaba por ser natural que o Benfica responda ao 2-1 com a procura e a concretização do 3-1 mas depois não é expectável que a equipa caia em tentação de recuar e ficar exposta a um possível 3-2 que só não aconteceu porque o famoso VAR impediu que um golo marcado com o braço contasse.

    Acaba por ser uma vitória normal, dentro do que tem acontecido nas últimas visitas do Estoril à Luz e a noite foi proveitosa para manter o tal ciclo positivo a perseguição ao objectivo principal.

     

    _JT_5863.jpg

     

    Antes do começo do jogo uma justa homenagem ao Zé Pedro, a quem dediquei o começo da crónica no Dragão. Para sempre um de nós. Extra jogo, é destas atitudes que queremos falar, sobre o resto estou como os treinadores deste jogo, chega!

    Rui Vitória...até quando? 10/12/2017 00:04 Geração Benfica


    Já se percebeu que o treinador do SL Benfica, Rui Vitória, não sabe fazer melhor.

    Poupou a (sua) equipa titular frente ao Basileia para hoje voltar a colocar os "mesmos cavalos cansados" de sempre.

    E o que se viu foi mais do mesmo: não há fio de jogo, não há automatismos ou entrosamento. Há sim jogadas avulsas que correm bem contra equipas fracas como este Estoril.

    E mesmo assim o Estoril acaba a primeira parte a reduzir. Um Estoril que não metia medo a ninguém chegou a meter este Benfica nervoso.

    Quanto ao 11, Rui Vitória não surpreende, só desilude pela falta de coragem. 

    E desta vez nem substituiu o inútil do Pizzi para não passar por outra vergonha. Pizzi que de jogo para jogo cada vez mais se mostra incomodado pela presença de Krovinovic. Enquanto isso Pizzi vai sendo o campeão das bolas perdidas, dos passes para o lado e uma espécie de "enterra oficial".

    Jonas nem ataca nem defende. Marcou o golinho da ordem contra os "mija nas escada" mas passa o jogo fora de posição libertando os centrais adversários e deixando o lugar de ponta de lança vazio.

    Salvio foi eleito...o man of the match. Se não fosse tão triste até ria. 

    Não há nada de bom a destacar?! Claro que sim.

    Krovinovic mostra a sabotagem feita ao clube pela sua exclusão das listas para a Champions.

    Mas quando quase meio estádio já está a abandonar as bancadas quando ainda temos pela frente cerca de 5 minutos de jogo(mais descontos)...é sinal de que esta equipa e este treinador estão mal. Muito mal.

    O problema de substituir Rui Vitória nesta altura é que não há quase nenhum treinador competente e conhecedor do futebol português e que esteja livre.

    E para cá ter o amigo de Vieira, José "Peyroteo" Couceiro, a fazer uma perninha mais vale deixar estar assim.

    Dia 3 de Janeiro veremos.

    Uma nota final para quem organizou a homenagem ao Zé Pedro e para o adepto do Sporting que por acaso é speaker do Estádio da Luz: a vossa estupidez e incompetência nunca nos deixa de surpreender.

    Avançam com a homenagem em cima da hora de entrada das equipas em campo, não deixando sequer 1 minuto da música dos Xutos que o estádio começava a cantar e dessa forma prestando homenagem ao Zé Pedro através da sua viúva e do Tim que estavam no estádio. De repente...cortam.

    Como se não bastasse, o enjoativo speaker adepto do Sporting pede um minuto de silêncio pelo Zé Pedro quando o grande ZP odiava minutos de silêncio. Até os políticos fizeram um minuto de aplausos no Parlamento, que é o que este anormal que faz de benfiquista deveria ter feito. 

    Nem todos no estádio o sabiam mas quem planeia uma homenagem teria que o saber. 

    Ano e meio e 40 milhões depois, continua a não haver um ala titular neste Benfica 09/12/2017 21:33 Geração Benfica

    Há algo que Rui Vitória tem feito bem: Tentou montar o SEU sistema de jogo e impor as SUAS ideias. A cair que caísse com elas, foi sempre o que lhe pedi MAS...

    Continua a ser muito pouco aquilo que a equipa mostra e uma trapalhada completa...

    Não quero repetir mais uma vez aquilo que já expressei dezenas de vezes quanto àquilo que foi o planeamento desta época mas, se quisermos todos perceber a dimensão do desnorte de Rui Vitória é olhar para aquilo que têm sido as apostas para jogar nas alas da equipa...

    De Carrilho que cedo foi à vida, a Rafa que vai pelo mesmo caminho, a Sálvio que parece ser o único com presença assídua no onze, a Zivkovic e Cervi que não fazem três jogos seguidos a titulares, a Diogo Gonçalves que entrou e desapareceu num ápice...

    A dimensão do desnorte vê-se aqui, e já nem falo nos 40 milhões gastos em alas pelo Benfica dos quais Rui Vitória não arranca um titular, mas sobretudo naquilo que qualquer leigo da bola percebe, que não é assim que se gere um balneário e não é assim que se dá confiança a quem quer que seja!

    Rui Vitória anda HÁ ANO E MEIO a ver se consegue um ala esquerdo para o Benfica! Ano e meio!! E ano e meio depois continua a lançar e a queimar um a um em modo carrocel, a dar e a tirar confiança a cada um a cada duas semanas, e a testar um a um em cada jogo, sendo que, não há um modelo de jogo, não há uma ideia de equipa, é atirá-los lá para dentro e literalmente pedir-lhes para se desemerdarem por si!

    Aqui disse há algum tempo quando se vislumbrou que Rui Vitória iria mudar algo na equipa, que saudava essa mudança mas que era um passo sem retorno. Quando se “queima” a base da equipa que já vinha de trás, quando se lhe retira a confiança, quando se testa uma segunda fórmula, só há um caminho: Ganhar. Porque não ganhando, já não há possibilidades de trazer os “rejeitados” de volta, não há possibilidade de se reerguer o que antes se chumbou aos olhos de todos.

    E não quero falar muito deste jogo do Estoril porque é mais do mesmo, é mais de uma equipa banalíssima que vem à Luz jogar como quer e parecer uma equipa de Zidanes, muitíssimo superior ao Benfica do ponto de vista coletivo e que só não ganha hoje facilmente porque individualmente, são quase todos jogadores de quinto escalão e sem grande habilidade.


    Mas aquilo que se percebe a olho nu é duas coisas ABSOLUTAMENTE óbvias:

    1. Os adeptos já perceberam que Rui Vitória não serve e tem os dias contados.

    2. E o mais grave: Os jogadores também já perceberam o mesmo, tal como perceberam que Rui Vitória é hoje bem mais parte do problema do que da solução.


    Se há diferença naquilo que acontece este ano para aquilo que aconteceu em outros anos, é que nos primeiros dois anos Rui Vitória lançava muitos jogadores porque tinha muitas lesões e estava a cada semana a ter de inventar novas soluções sem ter de assumir nenhuma vontade própria em cada uma dessas escolhas.

    Este ano as lesões são menos, há mais jogadores disponíveis, o plantel tem quase 30 jogadores e Rui Vitória tem de justificar as suas opções e mandar jogadores para a bancada todas as semanas. E isso muda tudo porque a gestão pacífica do balneário, a ideia do treinador simpático em paz com Deus e com o Diabo e com os jogadores sempre do seu lado não existe mais.

    A verdade é que Rui Vitória já testou o plantel quase todo, já testou dois modelos de jogo, já testou três guarda redes, três avançados, 6 alas e as exibições da equipa continuam a ser de uma sofreguidão e de uma falta de ideias absolutamente alarmantes... E a cada semana aumenta o número de descontentes no grupo e o número de céticos quanto às suas ideias.

    E a forma como ainda hoje se viu várias vezes uma equipa como o Estoril a partir para cima do Benfica em superioridade numérica do meio campo, a chegar até à nossa linha mais defensiva sem qualquer oposição do nosso meio campo que se limita a ver jogar, é a explicação de como se sofrem 14 golos em 6 jogos numa Champions League, mas também, quanto a mim, a prova da descrença e de como estes jogadores há muito que deixaram de acreditar neste treinador.

    Como aqui sempre defendi, aqueles que quiserem olhar para o resultado apenas, eh pá, ganhámos 3-1 ao último classificado da Liga, estamos muita bem! Mas eu nunca pensei assim. Há jogos que se perdem com competência e outros que se ganham onde saltam à vista sinais alarmantes. Este de hoje, a juntar a TANTOS outros de um passado recente, é um deles.

    A juntar ao óbvio de que este Benfica foi mal planeado, que a culpa disto vem bem mais de cima do que propriamente do treinador, e àquilo que salta aos olhos de todos de que a este Benfica faltam mais jogadores de qualidade, há algo que o Benfica também precisa como de pão para a boca neste momento:

    De um treinador com ideias novas que agarre em 15/16 jogadores dos 30 deste plantel e faça deles uma base sólida, que lhes restaure a confiança em si mesmos, fazendo-os acreditar que valem muito mais do que têm mostrado esta época. E alguns valem mesmo, e o DESAPROVEITAMENTO dos bons alas do Benfica é um exemplo crasso dessa realidade.

    Um grupo sem confiança no seu líder é o princípio de muitos problemas, e em parte, penso que é muito disso aquilo que se vive nesta altura.


    Fornecedor de bolas da Liga processa o Benfica... 09/12/2017 20:12 Geração Benfica


    A empresa que fornece as bolas para os jogos da Liga decidiu hoje, ao cabo de varias semanas da equipa do Benfica a tratar mal a bola, decidiu hoje fazer queixa do SLBenfica.

    As bolas terminam os jogos a chorar de tão mal tratadas que são por gente que até tem qualidade nos pés e aparenta tratar mal as bolas por falta de vontade e respeito pelo material.

    Mais um jogo com tudo para correr bem... e mais uma vez um jogo em que se aproveitam 10/15' de jogo e o resto é absolutamente sofredor.

    Pelo caminho, lá vimos o treinador a deixar na bancada do Diogo Gonçalves para dar tempo de jogo a um cada vez mais desastrado Rafa e sem coragem para lançar os jovens com receio que o Estoril marcasse - Estoril que não marcava um golo há 8 jogos e acabou a ter mais remates enquadrados do que o Benfica.

    Se isto é o foco no título e na resposta a uma saída inacreditável da Champios.... vou ali venho já!

    Oh Rui Vitória... não há vontade de ser colaborativo e de apoiar o Penta que resista a tanta mediocridade!

    Benfica vs Estoril ( liga Nos - 14ª Jornada ) 09/12/2017 18:24 O Belo Voar da Águia


    Benfica  3 *  1 Estoril
    .

    Árbitro: João Pinheiro ( AF Braga )
    Árbitros Assistentes: Bruno Rodrigues * Nuno Eiras
    Árbitro ( 4º ): André Narciso
    Delegados: Rui Mourinho * Victor Rosa
    Observador: João Rufino
    Var/Avar: Manuel Oliveira * Rui Licinio

    Transmissão: BTV 
    .
    Constituição das equipas:

    BENFICA: Bruno Varela; André Almeida, Luisão, Jardel e Grimaldo; Pizzi, Fejsa e Krovinovic; Salvio, Jonas e Cervi

    Suplentes do Benfica: Paulo Lopes, Samaris, Keaton, João Carvalho, Rafa, Seferovic e Raul Jimenez.

    Marcaram: Salvio, 13m; Jonas, 18m; Krovinovic, 60m

    ESTORIL: Moreira; Fernando Fonseca, Pedro Monteiro, Halliche e Joel; Kyriakou, Lucas Evangelista e André Claro; Aylton, Kléber e Allano.

    Suplentes do Estoril: Luís Ribeiro, Duarte, Abner, Eduardo, Jorman, Wesley e Bruno Gomes.

    Marcou: Kléber, 45m

    Carrega Benfica
    .