Porque não invadiram o campo ao intervalo? 08/12/2019 22:23 Geração Benfica


    Não é o método FCP em tempos de aflição?

    Só mesmo em Portugal é que o cerco à equipa de arbitragem no final do jogo não dá castigos!

    Esperamos acção da FPF. 

    O Quarto Anel recebeu um reforço... 08/12/2019 15:20 Geração Benfica


    Rogério "Pipi".

    Um dos grandes do SL Benfica.

    Até sempre campeão!

    Onde estão os castigos da Liga agora? 07/12/2019 10:36 Geração Benfica


    Mas alguém acredita que este VENDIDO e ANTI-DESPORTISTA não é apenas mais um vergado aos poderes e influencias do CRAC?

    Está a Liga, sempre tão diligente a castigar o Benfica, na hora de penalizar este tipo de comportamentos VERGONHOSOS?

    Se dúvidas houvesse de como este pedaço de vergonha facilita a vida ao CRAC nos jogos... mais uma prova aqui. Sempre foi assim desde que voltou a Portugal. "Erros involutários" uns atrás de outros contra o FCPorto... 

    Boavista 1 - 4 Benfica: Categórico Fecho de Ciclo 07/12/2019 02:00 RedPass

    79297647_10162721279745716_8805597338157449216_o.j

    Vale a pena voltar aquela noite fria de meio de semana em Portimão no começo deste ano. Com a desilusão instalada, a viagem Algarve - Lisboa foi das mais duras de sempre. Se alguém dissesse naquela noite que a partir dali íamos ganhar todos os jogos fora da Luz para o campeonato até ao final do ano seria assassinado com justa causa. 

    Aliás, proponho ao prezado leitor que prestigia este blog com a sua visita, o seguinte desafio: alguma vez teve um ano civil em que o Benfica tenha ganho todos os jogos fora de casa para o campeonato? 

    Alguma vez se atreveu a pedir nuns daqueles desejos de passagem de ano "neste ano novo só quero que o Benfica vença todos os jogos para a Liga como visitante!"? 
    As respostas mais prováveis são negativas. 

    E, no entanto, o ponto de partida foi Portimão. Tivemos que passar pelo Dragão, por Alvalade, por Guimarães, duas vezes por Braga e agora pelo Bessa, entre tantos outros destinos que aqui fui documentando ao logo de 2019. 

    Contar todos estes jogos por vitórias é estrondoso. Fechar o ciclo com uma goleada no Bessa contra o Boavista de Lito Vidigal e com uma arbitragem de Jorge Sousa é épico! 

     

    Grande jogo do Benfica na cidade do Porto. Vitória categórica do Benfica num estádio muito difícil contra uma equipa fortemente competitiva, com uma abordagem muito física e com reforço defensivo sempre à procura de desfazer e contrariar o adversário. 

    O Boavista jogou exactamente aquilo que se esperava mas encontrou um Benfica completamente focado na vitória e com absoluto conhecimento do adversário. Parecia que os jogadores do Benfica adivinhavam tudo o que o Boavista tinha preparado para esta batalha. 

    O facto de Pizzi ter marcado um golo muito, anulado com a ajuda do VAR, mostrou ao Boavista que não ia ser fácil quebrar o ritmo, perder tempo, cair no anti jogo e adormecer o Benfica levando-o para a zona de confronto tão conhecido pelos jogadores de Vidigal. 

    O golo de Vinicius com um passe soberbo de Pizzi veio confirmar a intenção do campeão. Só nos últimos minutos da 1ª parte com o golo do Boavista o jogo pareceu dividido. E depois no arranque da 2ª parte o Boavista tentou manter o balanço só que a equipa de Bruno Lage sabia que tinha feito mais do que suficiente para estar a ganhar o jogo nos primeiros 40 minutos, era só manter o ritmo, a atitude e a ambição até voltar à vantagem. E foi o que aconteceu. Cervi fez o 1-2, num lance em que os boavisteiros, e não só, ficaram a pedir uma falta que não existe, depois Vinicius decide o jogo com mais um belíssimo golo e Gabriel fecha as contas com um raro golo de cabeça. 

    1-4 no Bessa é um claro sinal da boa forma da equipa de Lage na Liga. Confirma a excelente exibição na Luz contra o Marítimo na jornada passada e faz pensar que o Benfica nos últimos anos tem vindo sempre de menos a mais no campeonato, portanto, a tendência é melhorar e jogar mais e melhor daqui para a frente. 

    Com o Benfica a preparar assim o jogo, a jogar desta maneira, a marcar com esta facilidade, com uma apoio magnifica naquele topo por trás da baliza para onde atacou a equipa na 2ª parte, com a atitude e a ambição com que contornou as dificuldades extra vindas de Jorge Sousa, o Benfica deu um claro sinal de força na defesa de um título que foi ganho de forma lendária na primeira parte deste ano. 

    Por falar em apoio, talvez o segredo para esta série incrível de vitórias longe da Luz esteja relacionado com o ambiente que a equipa encontra nestes jogos fora. É um contraste gigante com o ambiente que se vive por estes dias nos jogos em casa. Não é uma critica, é constatar um facto. Que sirva para reflexão. 

    Um 2019 só com vitórias fora de casa depois de Portimão é outro tipo de monotonia que preciso na minha vida. E esta eu nunca tinha vivido. Que se mantenha assim em 2020. 

    Sólida 07/12/2019 01:46 Tertulia Benfiquista

    Estava à espera que a deslocação ao Bessa fosse um dos jogos mais complicados esta época. Mas o Benfica respondeu com uma das exibições mais sólidas dos últimos meses e resolveu este potencial problema com grande facilidade. Se houve alguma ilusão de equilíbrio, foi apenas porque o Boavista conseguiu marcar na primeira (e quase única) ocasião em que chegou à nossa baliza durante todo o jogo.

     

     

    Regresso ao onze titular mais habitual das últimas semanas, com a excepção do Tomás Tavares alinhar no lugar do André Almeida, ausente por problemas físicos. A entrada do Benfica foi a matar: logo na primeira jogada de ataque o Pizzi isolou-se após um passe longo para as costas da defesa e fez a bola entrar na baliza, mas o golo foi anulado por um fora-de-jogo de centímetros. Daqueles lances em que um frame a mais ou a menos permite ao VAR validar ou não um golo, e que é daqueles pormenores que me fazem odiar o VAR - dá a sensação de que andam sempre à procura de uma desculpa para anular golos. Mas o lance não fez o Benfica esmorecer - fomos claramente superiores e dominadores em todo o campo, conseguindo mesmo dominar o meio campo com a dupla Gabriel e Taarabt sempre bem apoiada pelo Chiquinho e os dois alas, que frequentemente procuravam as zonas interiores. Isto apesar do critério largo obviamente adoptado pelo Jorge Sousa, que ia permitindo ao Boavista frequentemente matar os lances logo no meio campo com faltas sucessivas ficando sempre o amarelo guardado no bolso. Quando o amarelo finalmente saiu, foi num lance em que com boa vontade poderia ter sido vermelho, porque o Obiora travou o Chiquinho quando este estava em muito boa posição para se isolar (com a pancadaria que este jogador tinha andado a distribuir antes deste lance, com um critério normal ele não chegaria ao intervalo). O jogo continuou sempre com sentido único, com o Boavista acantonado atrás e incapaz sequer de causar qualquer tipo de incómodo em saídas em contra-ataque. Chegámos finalmente ao golo aos trinta e quatro minutos - um grande passe do Pizzi da direita (depois de uma boa saída do Cervi para o contra-ataque, na qual foi obviamente uma vez mais placado) foi encontrar o Vinícius do outro lado, que depois entrou na área e surpreendeu o guarda-redes com um remate forte e colocado para junto do poste mais próximo, quando ele esperava um remate cruzado. O mais difícil estava feito e parecia altamente improvável que o Boavista tivesse capacidade para responder à vantagem do Benfica. Mas de forma muito inesperada o empate surgiu mesmo quase em cima do intervalo, na única vez em que vi o Boavista chegar à nossa área. Culpas algo repartidas entre os dois centrais, já que o Rúben ficou atrasado em relação à linha da defesa e meteu o adversário em jogo, e depois o Ferro não acompanhou o avançado do Boavista e ficou fora do lance, permitindo-lhe ficar à vontade para desviar a bola de cabeça quando o Vlachodimos saiu. O empate ao intervalo era obviamente frustrante dada a enorme superioridade do Benfica em campo, mas se voltássemos para a segunda parte com a mesma atitude não haveria motivos para grande preocupação.

     

     

    E a verdade é que foi isso mesmo que aconteceu. O Boavista obviamente que estava satisfeito com o empate e manteve-se na retranca, e o Benfica continuou com enorme domínio territorial e foi à procura de novo golo que desse a vantagem no marcador. O Chiquinho deu o primeiro grande aviso logo nos primeiros minutos, obrigando o Bracali a uma boa defesa. E um minuto depois (aos sete) o golo chegou mesmo. Passe do Grimaldo (depois de uma bonita investida do Taarabt) a desmarcar o Vinícius, que entrou na área pela esquerda cruzou rasteiro para o poste mais distante, onde o Cervi apareceu embrulhado com um defesa a empurrar para o golo. Estava reposta a justiça no marcador e desta vez acreditei mesmo que o Boavista já não conseguiria ir outra vez buscar o empate - até porque pareciam estar mais empenhados em reclamar uma suposta falta do Cervi no lance do golo, quando o argentino ganha posição e é depois pontapeado pelo defesa do Boavista quando este tentou cortar o lance. E em boa verdade, o Benfica não deu hipóteses ao Boavista de sequer sonhar com isso, porque continuou a dominar completamente o jogo, sendo recompensado com o terceiro golo dez minutos depois. Bola interceptada pelo Grimaldo logo no início de uma tentativa de saída para o ataque por parte do Boavista e colocada pelo meio da defesa para o Vinícius, que logo na meia lua rematou de primeira de pé esquerdo para o ângulo superior da baliza sem qualquer possibilidade de defesa. Jogo mais do que resolvido e a partir daqui sim, achei que o Benfica abrandou um pouco o ritmo. Sem que isso no entanto desse ao Boavista qualquer possibilidade de regressar ao jogo, já que as poucas vezes em que conseguia chegar à frente eram quase sempre na sequência de livres despejados para a área. Continuou aliás a ser sempre o Benfica a estar mais perto do golo, e ainda deu para chegar ao quarto já em período de compensação. Foi pelo Gabriel, que cabeceou com sucesso após um livre marcado pelo Grimaldo (a castigar falta sobre si próprio) - de assinalar que antes deste jogo o Boavista ainda não tinha sofrido mais do que um golo em qualquer jogo da liga, e tinha uma das melhores defesas. Para não passar o jogo todo praticamente sem fazer nada, mesmo a acabar o jogo o Vlachodimos ainda teve a oportunidade para fazer uma boa defesa a um livre directo.

     

     

    Homem do jogo, obviamente o Vinícius graças aos dois golos e uma assistência. O homem no qual se deitaram fora dezassete milhões com o único objectivo de fazer um favor ao Mendes (mesmo não sendo ele na altura agenciado pelo Mendes, mas isso são pormenores) vai-se revelando uma das figuras da equipa e tem agora dez golos marcados nos últimos nove jogos pelo Benfica - estou a contar com o golo gamado pelo Veríssimo. Também me parece óbvio que daqui a uns meses o pilantra do Vieira será criticado por estar mortinho por vender o Vinícius, esse jogador que é prata da casa e que só veio para o Benfica contra a vontade do Vieira, porque ele só está interessado em destruir o clube. O Grimaldo também teve grande influência neste jogo, com duas assistências e participação noutro golo. Bom jogo da dupla do meio campo e do Pizzi, como de costume. O jovem Tavares fez uma exibição em crescendo, e creio que assim que vá acumulando experiência será apenas uma questão de tempo até conquistar a titularidade.

     

    Foi uma grande resposta do Benfica num jogo em que tínhamos todas as razões para esperar dificuldades. As dificuldades maiores acabaram por ser criadas por uma arbitragem muito tendenciosa por parte do Jorge Sousa. Num jogo em que os jogadores do Boavista andaram a lavrar o campo e a bater sem critério, o Benfica acaba com o mesmo número de amarelos deles. Na dúvida, decidiu quase sempre a favor da equipa da casa. Só mesmo ele conseguirá explicar como é que o Ricardo Costa não foi tomar banho mais cedo (conseguiu nem ver sequer um amarelo). Mas no final o que fica é mais uma vitória convincente do Benfica - a décima consecutiva nesta liga, e 91 pontos em 96 possíveis é o cartão de visita do Benfica de Bruno Lage. Temos que nos livrar rapidamente deste incompetente, porque tipos capazes de fazer muito melhor do que isto andam por aí aos pontapés. O que é uma chatice é que sempre que os maldizentes ganham um bocadinho de embalo, a resposta seja invariavelmente uma exibição para os desmotivar novamente.

    Terça-feira queremos mais! 06/12/2019 23:42 Geração Benfica

    Melhor jogo da temporada, e contra porrada à antiga do Boavista e um Jorge Super Dragão Sousa igual a si próprio.


    Terça-feira é para fazer ainda melhor!!!!!!! 

    Boavista - SL Benfica 06/12/2019 20:06 Geração Benfica

    ONZE DO SL BENFICA: 

    Odysseas, Tomás Tavares, Rúben, Ferro, Grimaldo, Gabriel, Taarabt, Pizzi, Cervi, Chiquinho e Vinícius.

    Suplentes: Zlobin, Jardel, Nuno Tavares, Samaris, Caio, Jota e Seferovic.

    Boavista vs Benfica - Liga NOS - 13ª Jornada 06/12/2019 18:21 O Belo Voar da Águia


    Boavista  1 * 4  Benfica
    .
    Árbitro:- Jorge Sousa (AF Porto)
    Árbitros assistentes:- Nuno Manso * Sérgio Jesus
    Árbitro (4.º):- António Filipe Alves
    VAR/AVAR: - Hélder Malheiro * Ricardo Santos
    Observador:- Manuel Faria
    Delegados:- José Pinto *Mário Agreiro

    Transmissão:- Spottv 1

    Constituição das equipas:-

    BOAVISTA: Bracali; Carraça, Fabiano, Neris, Ricardo Costa e Marlon; Obiora e Rafael Costa; Sauer, Stojiljkovic e Paulinho.

    Suplentes do Boavista: Helton Leite (GR), Lucas Tagliapietra, Idris, Reisinho, Samuel Pedro, Fernando Cardozo e Yusupha.

    Marcou: Stojiljkovic 44m
    ---
    BENFICA: Vlachodimos; Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro e Grimaldo; Pizzi, Taarabt, Gabriel e Cervi; Chiquinho e Carlos Vinícius.

    Suplentes do Benfica: Zlobin (GR), Jardel, Nuno Tavares, Samaris, Caio Lucas, Jota e Seferovic.

    Marcaram: Carlos Vinicius 35m; 61m; Cervi 52m; Gabriel 90m
    .
    Carrega Benfica

    Para quê investir no plantel? 06/12/2019 16:07 Geração Benfica


    É nestas alturas que, se quiser pensar friamente, "percebo" o Vieira. Para quê investir no plantel?

    Na verdade o SLBenfica não vai nunca ganhar a Champions. Podemos fazer umas coisas giras, para o prestígio, ego e receitas é muito giro, mas nunca a vamos ganhar e só muito dificilmente chegariamos a uma meia final... e para chegar aos 1/4 final, é preciso ter jogadores muito caros num mercado que desde a transferência do Neymar... explodiu e tudo é hoje muito inflacionado.

    Alem disso, os 40, 50, 60M que sejam que o SLBenfica pode fazer na Champions, pode "facilmente" fazer no Seixal com uma política de formação e scouting.

    Só que para isso resultar, tem de mandar os miudos "lá para dentro"...

    ... e para isso acontecer, tem que "pagar a fatura" nos jogos mais complicados e arriscar-se a perder o jogar mal contra os mais matreiros ou de melhor qualidade (o que acontece facilmente na Champions). 

    Em Portugal, o campeonato é TOMADO DE ASSALTO por poderes que o Vieira quis combater mas os seus telhados de vidro não deixaram, e como diz o ditado, "quando não os podes vencer..."

    E foi o que ele fez! "Vendeu-se" aos poderes e tenta superá-los com a qualidade interna de uma aposta clara na formação. Vende um ou dois miudos por ano e lucra mais que se for longe na Champions. O modelo permite "premiar-se" e "premiar" os amigos no ecossistema das transferências, e a Champions não.

    Pelo caminho, com uns putos talentosos, mesmo que se percam uns jogos, em teoria a probabilidade de ganhar cá dentro é elevada e é isso que o povão quer, apesar de falarem muito nas taças e na europa, o povão quer é ir ao Marquês em Maio... e se lhes derem isso duas ou três vezes em cada três ou quatro anos, eles ficam contentes.

    Depois é "aceitar" o esquema de controlo do CRAC, não lhes apontar muitas armas para não ficar de "cu destapado" e, como diria o Félix, "é lidar"...

    Olhando por esta perspectiva, que é apenas fria e pouco apaixonada, o homem até tem razão... defende-se, enriquece ele e os amigos (e o Benfica), vai indo ao Marquês mais que os outros... e ficam todos felizes.

    Se podia ser diferente? Claro que podia... mas isto dos telhados de vidro é lixado.

    O Fontelas é tão previsível... 06/12/2019 12:43 Geração Benfica

    Corria o dia 30 de Novembro e o CRAC tinha "plantado o Fabio Veríssimo contra o Benfica" no jogo com o Marítimo. Uma arbitragem vergonhosa que tudo tentou para "cortar" o jogo do SLBenfica que, ainda assim ganhou, o que surpreendeu o CRAC ao ponto do incontinente verbal do Marques vir dizer que suspeitou da atitude do Marítimo... O que eu entendo, pois se estava tudo controlado e se eles se recusam aceitar a superioridade do SLBenfica... só mesmo demérito do adversário é possível.

    Nesse dia, depois da arbitragem miserável do Veríssimo, envio um email ao nosso companheiro Shadows indignado com aquela arbitragem vergonhosa. A resposta chega passado alguns minutos, a dizer: "E no Bessa vamos ter o Jorge Sousa".

    E o que acontece então hoje?


    Precisamos de reforços de Inverno? 05/12/2019 16:54 Geração Benfica


    O plantel tem 29 jogadores mas é curto de qualidade. 

    As prestações em jogos de dificuldade mais elevada não deixam dúvidas.

    Aliás, até podemos lembrar a temporada passada com a eliminação da Taça da Liga, da Taça de Portugal ou da Liga Europa, tudo já às mãos de Bruno Lage.

    E se na temporada passada tudo poderia ser desculpado a Lage, esta temporada o próprio assumiu que não precisava de mais reforços, que queria ter um plantel curto e competitivo (como ainda hoje reafirmou) e fez as suas escolhas.

    A questão dos reforços deve-se colocar se, e apenas se, permanecermos nas competições europeias?

    Se nos mantivermos na Taça de Portugal?

    Em que situação se vai justificar reforçar a equipa?