Sérgio Conceição: "Por aquilo que vi hoje, devo um pedido de desculpas a todos os árbitros de Portugal" Tribuna 21/10 - Quarta, às 21:57

    Depois da derrota do FC Porto frente ao Manchester City (3-1), Sérgio Conceição criticou a arbitragem, na flash interview da Eleven Sports

    FC Porto continua sem vitórias em Inglaterra, após 21 jogos sapo.pt 21/10 - Quarta, às 21:54

    O FC Porto deslocou-se hoje a Inglaterra pela 21.ª vez na sua história nas competições europeias de futebol, em dia de 400.º capítulo, e ainda

    Depois de sete jogos e mais de 640 minutos sem conseguir sequer qualquer golo, o conjunto ‘azul e branco’ ainda se adiantou no Etihad, perante o Manchester City, na estreia na Liga dos Campeões, mas, pela 18.ª vez, acabou derrotado.

    O colombiano Luis Díaz trouxe esperança aos portistas, com um golo aos 14 minutos, mas o argentino Sergio Agüero, aos 20, de grande penalidade, o alemão Gündogan, aos 65, de livre direto, e o espanhol Ferrán Torres, aos 73, selaram a reviravolta.

    Feitas as contas, o FC Porto soma agora três empates e 18 derrotas em 21 deslocações a Inglaterra, com 11 golos marcados e 54 sofridos. Sérgio Conceição queria acabar com o que chamou de ‘maldição’, mas ainda não foi desta.

    Em Inglaterra, os ‘dragões’ só não perderam em duas visitas a Old Trafford, face ao Manchester United, ao empatarem a um em 2003/04 e a dois em 2008/09, e uma em Anfield Road, onde empataram a zero em 2017/18.

    As primeiras seis visitas redundaram em outros tantos desaires, com Newcastle (0-1 em 1969/70), Wolverhampton (1-3 em 1974/75), Manchester United (2-5 em 1977/78 e 0-4 em 1996/97), Tottenham (1-3 em 1991/92) e Liverpool (0-2 em 2000/01).

    Em 2003/04, um golo de Costinha, em ‘cima’ dos 90 minutos, selou o primeiro empate (1-1), face ao Manchester United, que valeu o apuramento para os quartos de final da Liga dos Campeões, já que os ‘dragões’ haviam triunfado em casa por 2-1.

    Se hoje o FC Porto se pode queixar de que o penálti que deu origem ao 1-1 foi precedido de uma falta de Güngodan sobre Marchesín, então o United bem se pode queixar da anulação de um golo limpo a Scholes, que era o 2-0. Erros que ficam na história.

    Depois dessa igualdade, o FC Porto voltou aos desaires, somando mais cinco consecutivos, face a Chelsea (1-3 em 2004/05 e 1-2 em 2006/07), Arsenal (0-2 em 2006/07 e 0-4 em 2008/09) e Liverpool (1-4 em 2007/08).

    O segundo empate chegou em 2008/09, de novo em Old Trafford, face aos ‘red devils’, graças a mais um golo ‘tardio’, de Mariano González, aos 89 minutos, depois de Wayne Rooney e Carlos Tevez darem a volta ao tento inaugural de Cristián Rodríguez.

    Ao contrário do resultado de 2003/04, este acabou por nada valer, já que na segunda mão, no Dragão, um ‘golão’ de Cristiano Ronaldo, do ‘meio da rua’, qualificou os ingleses (0-1).

    Voltaram, depois, as derrotas, com Chelsea (0-1 em 2009/10 e 0-2 em 2015/16), Arsenal (0-5 em 2009/10), Manchester City (0-4 em 2011/12), e Leicester (0-1 em 2016/17).

    Em 2017/18, o FC Porto somou, sem marcar, o terceiro empate em solo inglês, nos ‘oitavos’ da ‘Champions’, embora depois de um 5-0 do Liverpool em pleno no Dragão. Em 2018/19, os ‘reds’ venceram por 2-0, nos ‘quartos’ – também ganharam no Porto (4-1).

    Sérgio Conceição: «Ao contrário da frustração de sábado, hoje senti orgulho» Record 21/10 - Quarta, às 21:47

    Técnico portista elogia forma como os seus pupilos se apresentaram

    Pepe: "O City tem jogadores muitos bons, não precisava tanto destas ajudas" sapo.pt 21/10 - Quarta, às 21:45

    Declarações de Pepe, defesa do Manchester City, , no final do jogo com o FC Porto.

    Resultado injusto? "Completamente injusto, completamente injusto. O Manchester City tem jogadores muitos bons, não precisava tanto destas ajudas. Tantas más decisões... Desta maneira custa ainda mais. Hoje, com a tecnologia que temos, que a UEFA tem... O VAR, não ter chamado a atenção do árbitro, acho que é inadmissível. Mas não temos de lamentar mais. Ele errou, errou o VAR"

    Critérios diferentes nas duas áreas: "Você sabe que estou a falar do lance do penálti, mas há o penálti sobre mim, acho que foi o Cancelo. Há também o segundo amarelo que devia ter mostrado ao Rodri, a falta do Fábio Vieira [lance do 2-1], que posso entender, mas havia que ver o que é este jogo. O árbitro não foi feliz".

    O FC Porto estreou-se, esta quarta-feira, com uma derrota no grupo C da Liga dos Campeões de futebol, ao perder em Inglaterra com o Manchester City por 3-1.

    Os 'dragões' ainda sonharam com uma surpresa, quando o colombiano Luis Diaz inaugurou o marcador, aos 14 minutos, mas a equipa na qual alinham Ruben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva, todos titulares, igualou ainda na primeira metade, com um golo do argentino Kun Aguero, na conversão de uma grande penalidade, aos 20. O alemão Ilkay Gundogan, na cobrança de um livre direto, aos 65, e o espanhol Ferran Torres, aos 73, anotaram os golos que permitiram o triunfo da equipa inglesa.

    Com esta vitória, o City fecha a primeira jornada na frente do grupo C, com três pontos, os mesmos do Olympiacos, de Pedro Martins, que recebeu e venceu o Marselha, de André Villas-Boas, por 1-0, enquanto o FC Porto ocupa o último lugar sem pontos, igualado com os franceses.

    Sérgio Conceição: «Após o que vi hoje, peço desculpas a todos os árbitros e VAR de Portugal» Record 21/10 - Quarta, às 21:43

    Treinador do FC Porto critica duramente a arbitragem do encontro com o Man. City

    Lá em Casa Mando Eu adora contos de fadas como o de Nanu: dos Barreiros a fazer antijogo com Lito Vidigal para jogar na Champions com o City Tribuna 21/10 - Quarta, às 21:41

    O FC Porto perdeu em Manchester frente ao City (3-1), na estreia na Liga dos Campeões 2020/21, mas Catarina Pereira gostou da exibição dos portistas e, particularmente, de Mbemba: "Não o trocava por nenhum dos defesas do City, que, todos juntos, custaram mais do que o PIB do país do Mbemba"

    Pepe: «O City tem jogadores muito bons, não precisava desta ajuda...» Record 21/10 - Quarta, às 21:35

    Central critica duramente a arbitragem

    City: Rúben Dias lamenta erros no golo portista, Cancelo queixa-se da arbitragem sapo.pt 21/10 - Quarta, às 21:35

    Declarações de Rúben Dias, defesa do Manchester City, à TVI24, no final do jogo com o FC Porto.

    Exibição do City: "A equipa está a crescer, ainda longe do que vamos conseguir fazer mais à frente. Mas estamos a dar passos seguros e a crescer enquanto equipa".

    Golo sofrido: "A equipa tem de estar mais junta. Devíamos ter feito falta [n.d.r. sobre o Luis Diaz] e não deixa-lo arrancar daquela forma. Mas é futebol, é feito de erros e temos de aprender e corrigir esses erros".

    Adaptação a Manchester: "Já estou habituado ao frio de Manchester. O primeiro jogo em casa até parece que deu uma sensação diferente, mas agora o corpo já se está a habituar".

    Também o português João Cancelo, do Manchester City, falou sobre o jogo e... queixou-se da arbitragem do lituano Andris Treimanis

    FC Porto entrou de forma diferente: "É verdade que não estávamos à espera da forma como jogaram, porque não é a estrutura normal deles, mas durante o jogo fomo-nos habituando à forma como jogaram. São uma equipa muito física e combativa como tem vindo a ser o FC Porto nos últimos anos, mas fomos superiores em todos os aspetos do jogo e merecemos a vitória".

    Resultado é justo?: "Acho que o resultado é justíssimo. O critério do árbitro não foi igual para as duas equipas, porque víamos amarelo à mínima falta que fazíamos. Mas, tirando isso, foi um jogo bem disputado, entre duas boas equipas e nós fomos melhores e merecemos a vitórias".

    Será este o ano do Manchester City na Champions? "Nos últimos anos o City tem ganho muito em Inglaterra e, realmente, falta-nos esta competição. Mas vamos pensar jogo a jogo e, mais uma vez, tentar levantar este troféu. É um sonho meu e de todos os meus colegas".

    O FC Porto estreou-se, esta quarta-feira, com uma derrota no grupo C da Liga dos Campeões de futebol, ao perder em Inglaterra com o Manchester City por 3-1.

    Os 'dragões' ainda sonharam com uma surpresa, quando o colombiano Luis Diaz inaugurou o marcador, aos 14 minutos, mas a equipa na qual alinham Ruben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva, todos titulares, igualou ainda na primeira metade, com um golo do argentino Kun Aguero, na conversão de uma grande penalidade, aos 20. O alemão Ilkay Gundogan, na cobrança de um livre direto, aos 65, e o espanhol Ferran Torres, aos 73, anotaram os golos que permitiram o triunfo da equipa inglesa.

    Com esta vitória, o City fecha a primeira jornada na frente do grupo C, com três pontos, os mesmos do Olympiacos, de Pedro Martins, que recebeu e venceu o Marselha, de André Villas-Boas, por 1-0, enquanto o FC Porto ocupa o último lugar sem pontos, igualado com os franceses.

    Guardiola surpreendido com 11 do Porto: «Falei com Rúben Dias e percebi como estavam a jogar» Record 21/10 - Quarta, às 21:34

    Técnico do Man. City deixou rasgados elogios aos dragões

    Dragões atacam arbitragem do jogo com o City sapo.pt 21/10 - Quarta, às 21:32

    O FC Porto criticou duramente a arbitragem do nomeadamente o lance que deu o empate aos ingleses. Os campeões nacionais falam mesmo num "chorrilho de erros do árbitro Andris Treimanis, sempre em prejuízo do FC Porto"

    "Mesmo perante a falta escandalosa de Gündogan sobre Marchesín que as repetições confirmaram, o VAR holandês Jochem Kamphuis fez vista grossa e nem sequer convidou Andris Treimanis a ver as imagens, algo verdadeiramente inacreditável", dispararam os campeões nacionais na sua crónica da partida no site oficial.

    Os azuis e brancos consideram ainda que "Andris Treimanis foi, de muito longe, o pior em campo."