Quando corre bem há mentalidade Porto, quando corre mal já não há? É isso? 17/10/2020 22:45 Dragão até à Morte

    Vamos lá ter calma que a época ainda agora começou e já há muita gente nervosa... O plantel para os próximos tempos é este, agora não adianta pensar que podia ser outro, só faz falta quem cá está. Assim, é com este que temos de conseguir os resultados que nos permitam lutar por todos os objectivos internos e tentar uma gracinha na Champions.

    Um presidente pequenino e insignificante, resolveu por-se em bicos dos pés à custa do F.C.Porto. Nem sequer vou perder tempo a comparar a sua reacção de ontem após o jogo frente aos Dragões, com os seus silêncios acerca de tanta coisa que se passa no vizinho da segunda-circular, mas chega de queixinhas, de choradinho, de vitimização, de complexos de inferioridade, de anos e anos de calimerismo. 

    Ainda não chegamos ao tempo de no futebol português ser penálti quando o Sporting quiser. E mais, se há clube em Portugal que nos últimos anos não tem razão de queixa dos árbitros, é o Sporting. 

    Que um trambiqueiro e grande caloteiro, se apresente como vítima... é surreal.
    Que alguém que invadiu um estúdio de televisão para fazer uma grande peixeirada, afirme que não quer debates porque noutro clube essses debates, diz ele, foram uma grande palhaçada. É o cúmulo da desfaçatez.
    Que tudo isso e muito mais que a figurinha disse, não só não seja questionado, como praticamente lhe tenham estendido uma passadeira, é de deixar qualquer portista à beira de um ataque de nervos...

    Caixa de comentários

    A saída de Alex Telles 06/10/2020 10:07 Dragão até à Morte



    Podemos olhar para a saída de Alex Telles, por 15 milhões, para o Manchester United, de duas maneiras. 

    Uma, Alex Telles é internacional brasileiro; tem 27 anos, nos tempos que correm é a idade ideal, quando um jogador atinge a maturidade; bastante experiência no futebol europeu, representou Galatasaray, Inter e F.C.Porto; qualidade indiscutível. Mas pedia valores incomportáveis para renovar, estava em final de contrato, em Janeiro já podia assinar por outro clube. Pressionado, em situação finaceira muito difícil, o F.C.Porto teve de vender já. Mais vale 15 milhões na mão que sair a custo zero. 

    A outra, se é óbvio que 15 milhões é melhor que nada, também é óbvio que o valor é muito baixo, um absurdo, representa metade de Fábio Silva, menos que Vitinha e Danilo que vai fazer 30 anos. Tudo porque não fomos capazes de, em devido tempo, renovar com ele. E esse é que foi o verdadeiro problema. Jogadores com esta qualidade, logo, muito pretendidos, não podem entrar no último ano de contrato sem renovar.

    Veremos o que vai acontecer com Otávio, Sérgio Oliveira e Marega.

     

     

    Podíamos viver sem este jornalismo sério, etica e deontologicamente intocável e que no espaço de 1 hora e 27 minutos consegue o feito de transformar um jogador riscado num jogador contratado? Podíamos... mas não era a mesma coisa! 


    Guarda-redes: Marchesín, Cláudio Ramos (ex Tondela) e Diogo Costa 

    Defesas: Wilson Manafá, Nanú (Ex Maritimo), Carraça (ex Boavista), Chancel Mbemba, Malang Sarr,(ex Chelsea), Iván Marcano, Pepe, Diogo Leite e Zaidu (ex Santa Clara) 

    Médios: Marko Grujic (ex Liverpool), Sérgio Oliveira, Matheus Uribe, Mamadou Loum, Otávio, Romário Baró, Fábio Vieira, João Mário, Jesús Corona, Shoya Nakajima, Luis Díaz, Filipe Anderson (ex West Ham) 

    Avançados: Moussa Marega, Taremi (ex Rio Ave), Evanilson (ex Fluminense) e Toni Martinez (ex Famalicão)

    Tudo somado, até acho que foi um bom mercado, o F.C.Porto fica, na minha opinião, com um plantel, pelo menos teoricamente, melhor do que o da época anterior. O único problema são os empréstimos serem sem opção de compra. Se não estou enganado, todos podem ser inscrito na Champions e isso é bom.

                                                          Caixa de comentários



    Sérgio Oliveira é Porto da cabeça aos pés 27/09/2020 14:17 Dragão até à Morte

    18 de Outubro de 2009, F.C.Porto 4 - Sertanense 0. 

    «Histórico: Sérgio Oliveira passou a ser o mais jovem jogador a vestir a camisola do F.C.Porto em jogos oficiais: 17 anos, 4 meses e 15 dias. Tem um talento e um potencial que não engana. Só precisa de treinar, treinar, treinar e jogar, jogar, jogar...nos seniores! A qualidade, a maturidade e o à vontade deste jovem, já são de mais para outro escalão que não seja a equipa principal. Foi assim, apostando sem medo, que apareceram o F.Gomes, o João Pinto, o Jaime Magalhães, Vítor Baía, Domingos e tantos outros. Toca a fazer o mesmo com Sérgio Oliveira!»

    Passados quase 12 anos, quando olhamos para Sérgio Oliveira, ficamos com a clara sensação que, apesar de ter feito uma carreira bonita - e ainda está a tempo de conseguir muito mais -, podia ter ido muito mais longe... Espero que renove. Sérgio é Porto da cabeça aos pés.

    Caixa de comentários

    Começa hoje o campeonato, mas, lamentavelmente, volta a faltar-lhe a alegria, o entusiasmo e a paixão dos adeptos 18/09/2020 16:28 Dragão até à Morte


    Começa hoje mais um campeonato, mas, lamentavelmente, volta a faltar-lhe a alegria, o entusiasmo e a paixão dos adeptos. E enquanto na Bélgica já podem estar adeptos nos estádios, até 1/3 da lotação, e na Alemanha, sempre olhada como uma referência, a Bundesliga terá 20% da lotação, em Portugal o desporto continua a ser tratado como uma espécie de coisa menor, olhado de soslaio, discriminado, apesar de ser muito importante para a economia nacional.
    Para além disso, olhando para o adiamento do Sporting - Gil Vicente, é bom se definam regras claras, critérios objectivos, o principal campeonato do futebol português não pode ficar sujeito ao livre arbítrio de entidades exteriores, governo ou DGS.

    Assim, dito isto, importa dizer mais o seguinte:
    O futebol é entusiasmo, alegria, emoção, paixão? É! Mas o futebol sabe que não vivemos numa situação normal, tem de cumprir determinadas regras, ser contido, Acreditar que num estádio com capacidade para 50 mil pessoas, não podem estar, vá lá, 10 mil, em condições de segurança e sem qualquer prejuízo para a saúde pública - risco zero não existe em nenhuma actividade, ponto -, é um desrespeito, discriminação, preconceito! Olham para o futebol e só vêem as claques. E no caso das claques também é preciso desmistificar a teoria que é impossível obrigá-los a cumprir as regras. No caso concreto do F.C.Porto, existem duas claques organizadas, Super-Dragões e Colectivo 95; ambas estão legalizadas, conhecem-se os líderes. Ora, ninguém mais anseia pelo regresso de público aos estádios que as claques. Sendo assim, chamavam-se os responsáveis, explicavam-se as regras, deixava-se claro que tinham de cumprir, se não cumprissem havia riscos de os jogos voltarem a ser à porta fechada. Não, nem sequer uma experiência admitiram, quanto mais jogos do campeonato com público. Tratam o futebol como uma actividade marginal em comparação com tantas outras actividades a quem foi autorizado ter público, quiçá com muito maiores riscos.
    O futebol não se quer substituir a quem de direito, era o que faltava, senhor secretário de estado adjunto da saúde, mas o futebol, mais que direito, tem obrigação de se sentir discriminado com muitas decisões tomadas pelo governo e DGS - touradas, fórmula 1, motociclismo, concertos, incluindo os da festa do Avante, Fátima...
     
    Notas finais:
    No que toca ao F.C.Porto, espero como sempre uma boa participação, capacidade para ser competitivo, lutar por todos os objectivos internos - o campeonato sempre em 1º lugar -, ao mesmo tempo que seja capaz de resolver os problemas que o colocam numa situação muito difícil, dramática, mesmo.

    Há tanta coisa que envolve o clube do regime, a acontecer, que só pode surpreender os mais incautos e distraídos. Portanto, sobre o Benfica de Vieira, apenas me apetece dizer que nos dias que correm me sinto menos tolinho, ao ver, finalmente, tanta gente a acordar para uma figura muito pouco recomendável, sinistra, mesmo, como é o actual presidente do SLB. 
    Como disse há anos, VER AQUI, este é o momento para extirpar o tumor que se alastra o desporto português, futebol em particular, mas não só...

    O silêncio do Benfica contra a falta de público não surpreende. Vieira vai ter eleições, ter adeptos a cantar no estádio coisas muito pouco agradáveis com convém nada, como aconteceu não faz muito tempo, não convinha nada. Já o silêncio da FPF e de Fernando Gomes, até era capaz de dizer que é surpreendente, mas como conheço bem o "Facadinhas", sei que ele é uma espécie de ministro sem pasta do actual governo, faz parte da sua função evitar que se crie problemas ao governo, também não posso dizer que estou surpreso...

    O futebol foi obrigado a cumprir um protocolo exigentíssimo e cumpriu exemplarmente, não foi nem é culpa do futebol este aumento de casos, que as coisas estejam a piorar, seja preciso adoptar medidas mais restritivas.

    O futebol não pode ser um desporto para queques, VIPS, meninos de coro ou para apreciadores de croquetes.
     
     

    Vítor Baía, Fernando Couto, Bruno Alves, Ricardo Carvalho, Rui Barros, Sérgio Conceição... 08/09/2020 10:22 Dragão até à Morte


    Nota:
    Os jogadores citados no título são alguns exemplos de jogadores da formação que o F.C.Porto transferiu no passado.

    Numa situação normal, sem estar sob pressão e com a corda ao pescoço, o F.C.Porto só conseguirá manter-se como um clube capaz de lutar por todos os objectivos internos e fazer umas gracinhas lá fora - sendo realista, uma bela gracinha é chegar aos quartos-de-final da Champions, por exemplo -, se for capaz de estar atento aos Militões desta vida - é cada vez mais difícil, agora os grandes e ricos estão sempre em cima e têm muito mais dinheiro -, comprar e formar bem, valorizar e transferir por bons preços. Ajuda, trabalhar com bons empresários. Os chega rebos que só trazem e nem os Messis conseguiam vender, dispensamos. Não há outra alternativa, somos e vamos continuar a ser um clube vendedor - importante, ter uma Academia onde as condições para trabalhar talento sejam melhores. 

    Dito isto, importa dizer mais o seguinte:
    O que mudou? É óbvio que a situação actual não é normal, gerimos mal, estamos numa situação difícil, sob a alçada da UEFA, não há tempo para ter tempo, vendem-se os anéis para salvar os dedos, nem se dá tempo para saber se alguns dos jovens daqui a um, dois, ou três anos, valeriam muito mais.
    Como a situação é a que é, não vale a pena estarmos a pensar agora na que podia ser... Até porque o F.C.Porto teve eleições há muito pouco tempo e os resultados não deixaram dúvidas. Que ao menos daqui a algum tempo, o mais curto possível, a tristeza que sentimos de os ver partir, quiçá, prematuramente, seja compensada e possamos dizer que valeu a pena.

    Abre hoje a caça ao polvo... 04/09/2020 09:46 Dragão até à Morte


    Omertà: é um termo que define um código de honra de organizações mafiosas do Sul da Itália. Fundamenta-se num forte sentido de família e num voto de silêncio que impede cooperar com autoridades policiais ou judiciárias, seja em directa relação pessoal como quando factos envolvem terceiros.


    Ruizinho, meu pequenino, descobriste agora que o Vieira é tudo isso? Olha que quando lá estavas, como director e depois como administrador, já era óbvio que ele era assim. Tu também foste conivente com o compadrio, promiscuidade, com os trambiques e os esquemas, com a pouca-vergonha e podridão que grassa na Luz. Vá lá, não é só o Paulo Gonçalves que tem de contar o que sabe, tu também deves saber muitas coisas. Ou será que estavas na missa e não vias os "santos".


    Fábio Silva no Wolverhampton por 40 milhões.
    A priori, é um excelente negócio, a posterirori e em todos os sentidos, veremos. O que quero dizer com isto? Fácil. Por exemplo: não podemos continuar a vender os anéis para salvar os dedos; como vamos gerir estes milhões; se vamos ser cada vez mais criteriosos nas contratações; se o jogador vai corresponder às expectativas, ser aquilo que o seu talento e potencial auguram ou não.
    Por mais que alguns diabolizem o Jorge Mendes, se não fosse ele, estávamos feitos ao bife...

    O F.C.Porto tem problemas, muitos, mas é uma Instituição que tem de ser respeitada... 21/08/2020 07:55 Dragão até à Morte


    Como disse no post anterior, a chamada dobradinha foi muitíssimo importante, desportiva e financeiramente, mas não foi a panaceia que vai resolver todos os problemas do F.C.Porto, que são muitos. E sobre isso, qualquer portista atento e que veja para além da questão desportiva, percebe e só pode ficar preocupado.
    Com o mundo em recessão, os PIB`s a atingirem valores historicamente negativos, em pandemia e sem nenhuma garantia quanto ao futuro; sem público nos estádios(*), nem sabendo quando regressa, com o que isso significa em receitas de bilheteira, idem para o merchandising, marketing, parcerias comerciais, etc.; como é que vai o F.C.Porto sair desta situação? Qual a estratégia? Qual o caminho a seguir? Como vamos sair desta situação dramática? Vamos vender os jovens da formação? E se sim, depois vamos rigorosos e criteriosos, dar tiros certeiros nas contratações, ou vamos continuar a contratar para dispensar? Vamos vender os jogadores que estão no último ano de contrato ou vamos correr o risco de os ver sair a custo zero? Como nos vamos libertar do garrote que nos aperta e nos condiciona? Não sei, mas gostaria de saber. E apesar de tantas entrevistas ainda não li ou ouvi ninguém levantar a ponta do véu. Depois, como aconteceu ontem, no jornal o Jogo, o destaque é Toni Martínez disposto a esperar que o F.C.Porto tenha dinheiro. Ou, também podia ser, o F.C.Porto quer o jogador tal, mas não tem liquidez. Ou, o F.C.Porto perdeu este e aquele jogador por falta de liquidez.
    Demos o flanco, é culpa nossa, consequência de uma gestão que deixa muito a desejar? É verdade. Mas somos uma Instituição demasiado grande para estar sujeitos a levar com estes destaques rasteiros. A Instituição F.C.Porto tem de ser respeitada...

    No nosso rival ninguém questiona nada, as novelas venezuelanas que não têm fim, as cambalhotas estão tão à vista que até um cego vê - Domingos Soares Oliveira ao Expresso em 27/06/2020: "Provavelmente haverá uma travagem em termos de investimento(*), admito que haja uma redução, este ano investimos cerca de €60 milhões. É verdade que hoje em dia os jogadores podem estar mais baratos até. Queremos continuar a investir mas de forma ligeiramente adaptada, com segurança e com a certeza de que teremos uma equipa bastante competitiva." -, a Mina de Ouro - capa do chiqueiro da queimada -, ou Mina do Seixal - segundo o Rascord -, outrora tão badalada, foi trocada por "jovens trintões" pagos a peso de ouro, mas isso é apenas mudança de paradigma? Enquanto o Benfica com a conivência de cartilheiros, freteiros, propagandistas e vendedores de banha da cobra, passa as mensagens que quer, algumas de tão ridículas só não os envergonha porque vergonha é aquilo que eles não têm, nós, F.C.Porto, clube que mais uma vez vai estar no Pote 1 da Champions League, permitimos que nos apresentem como os coitadinhos que até para o Sporting perde jogadores?

    Notas finais:
    Não vou subestimar algumas das contratações do Benfica. Seria um absurdo. Nem vou pensar que vamos ter um SLB parecido com o da época passada. Não, com JJ seria sempre um Benfica mais forte, mesmo com o plantel anterior, mas não estou assustado. A arrogância e a bazófia típica daquelas bandas é prática de todos os inícios de época, nos últimos 10 anos só por uma vez o FCP foi campeão da pré-época, foi no 1° ano de Julen Lopetegui e sabemos como as coisas terminaram. E, depois, mesmo que às vezes possamos dizer que já não é o que era, o F.C.Porto continua a ter aquilo que mais ninguém tem neste país:
    Crença, alma, um espírito de luta e de combate e um ADN que só o Dragão tem e que lhe permite, mesmo nas piores circunstâncias, conseguir feitos marcantes.
    Por isso, apesar dos muitos problemas e dificuldades que temos de ultrapassar, dos muitos obstáculos que vamos ter de derrubar, vamos voltar a ser competitivos e lutar pelos objectivos.

    (*) - O que esteve na origem da mudança? Fácil. O Benfica vai ter eleições em Outubro e até certa altura do ano, apesar de umas chouriçadas e umas cócegas de Bruno Costa Carvalho, a reeleição de Vieira estava mais que garantida. Só que, entretanto, as coisas mudaram, o tal clube "falido" e com um plantel de "coxos", não só ganhou o campeonato como lhe juntou a Taça de Portugal e aqui jogando 1 hora com menos um jogador. Se a isto juntarmos o aparecimento de uma candidatura credível e capaz de derrotar Vieira, temos a explicação para este frenesim. Vieira ficou assustado, em pânico, com um medo terrível de perder a protecção do chapéu de abas largas que é o SLB. Ou, usando a terminologia de Rui Gomes da Silva, o melhor escondirijo do país.
    Não admira por isso que JJ tenha uma equipa técnica com ONZE elementos, peça tudo e Vieira esteja disponível para dar, sem olhar a custos.
    Cavani até pode vir para o Benfica, mas só quem come gelados com a testa acredita que os números, para um contrato d e3 anos, são aqueles que há dias o chiqueiro da queimada colocou em público - 5+5+5 brutos, mais um prémio de assinatura de 8 milhões. Não! A operação Cavani a concretizar-se, é muito mais dispendiosa, os valores estão na casa dos 60 milhões.

    (**) - "O que se passa do ponto de vista de bilhética é muito impactante. E tem mais impacto para o Benfica do que para os rivais, devido ao tamanho do palco."
    Na mesma entrevista, o CEO da SAD do SLB, dizia isto sobre a falta de público nos estádios. Alguém vê o Benfica preocupado e colocar o seu peso institucional junto das autoridades governamentais e de saúde, para que se encontrem soluções que permitam o regresso, obviamente, condicionado, do público aos estádios? Não, o único clube que tem mostrado preocupação é o F.C.Porto. Até parece que esta questão só interessa aos Dragões, só os Dragões terão problemas com a falta de público...

    Paulo Gonçalves, a fazer magia em Faro. Também pergunto, porque será que o Rascord cortou o Paulinho Toupeira na foto? Mais um clube amigo do SLB na Liga NOS.

    Entretanto consta que um presidente anda a tentar safar o Vitória de Setúbal. Porque será?

    Foto do dia

    Para fechar a época... 05/08/2020 14:54 Dragão até à Morte


    Terminou com uma dobradinha à moda do Porto - conquista do campeonato e Taça de Portugal -, a época mais longa, mais atípica e mais difícil, mas muito saborosa, da história do F.C.Porto - as razões, todas as dificuldades que foi preciso ultrapassar, antes do Covid, durante o tempo de confinamento, em que o futebol esteve parado e após o recomeço. Um futebol sem público, sem o entusiasmo e a paixão dos adeptos

    É o momento para dizer alguma coisa em jeito de balanço que está de alguma forma condicionado - não vi os últimos 10 jogos, e se é impossível desligar, a disposição para futebóis não era a mesma que antes da pandemia.
    E se em 2018, no 1º título de Sérgio Conceição, disse isto:
    «Sabem todos que no "meu Porto", em primeiro lugar, para o bem e para o mal, responde o líder do clube e SAD, Jorge Nuno Pinto da Costa. É assim agora que ganhamos, foi assim quando perdemos, é assim que deve ser sempre, na minha opinião. Elogiar e responsabilizar o presidente pelos sucessos, desresponsabilizá-lo e arranjar bodes expiatórios nas alturas em que os objectivos não são atingidos, é um exercício de desonestidade intelectual que me recuso a seguir. Portanto, em primeiro lugar, parabéns ao presidente por mais um título e que título! Mas se é verdade que a escolha de Sérgio Conceição, como está à vista e contra factos não há argumentos, foi uma escolha correcta e esse é mérito deve ser creditado ao líder do clube e SAD - não vou usar o passado recente como contraponto... -, também não deixarei de dizer, porque para mim é uma verdade incontestável, desde que Jorge Nuno Pinto da Costa é presidente nunca a influência de um treinador foi tão notória e contribuiu tanto para a conquista de um título como esta época com Sérgio Conceição na cadeira de sonho. Aliás, esse reconhecimento foi expressado/cantado de uma maneira extraordinária. Tanto que na minha já longa caminhada a acompanhar o F.C.Porto, posso dizer que se já vi treinadores a serem muito exaltados e o seu trabalho de excelência também muito enaltecido - Pedroto, Artur Jorge, Mourinho ou André Villas-Boas, por exemplo - nunca vi nada igual ao que vi domingo no Estádio do Dragão. Se tenho claro que é impossível um treinador ter um apoio unânime, tenho também a certeza que nunca um treinador foi tão consensual, teve do seu lado a esmagadora maioria do portismo, como Sérgio Conceição.»

    E mais umas coisas que podem ver AQUI, esta época há muito mérito do treinador, como é óbvio - estes tempos, como disse em Maio de 2018, não são tempos em que quem treina o F.C.Porto arrisca-se a ser campeão. Não, é muito mais difícil agora. É indiscutível e seria preciso muita má-fé ou o cúmulo da desonestidade intelectual não o reconhecer, mas ao contrário do título de 2017/2018, há também muita estrutura - incluo na estrutura o departamento médico superiormente comandado pelo Doutor Nélson Puga, Nélson Puga que junta à competência profissional um portismo praticado que importa realçar - e principalmente, muito Jorge Nuno Pinto da Costa - o facto de ter na minha qualidade de portista muitas críticas a apontar ao presidente e cuja linha vermelha foi o prémio de meio-milhão de euros, numa altura em que o F.C.Porto atravessa uma grande crise financeira, não me impede de elogiar quando entendo que os elogios se justificam. Em vários momentos desta temporada e logo na pré-época, Pinto da Costa teve de intervir e fê-lo bem, unindo as pontas, evitando danos que poderiam ser irreversíveis. Continuou após a eliminação da Champions e em outros momentos em que o sangue ferveu e voltou a tomar posição importante, já depois do recomeço, após o empate na Vila das Aves. Mas onde Pinto da Costa mostrou toda a sua capacidade, sabedoria e experiência, foi no pós-final da Taça da Liga, quando as coisas estiveram muito difíceis e a um passo da ruptura. Nessa semana muito complicada, a intervenção presidencial não só evitou o pior, como criou condições para a retoma que veio a culminar numa dobradinha à moda do Porto. Ganhar campeonato e Taça de Portugal numa época que pelas circunstâncias que a envolveram, pelo tempo que durou, foi muito difícil, é um feito notável e  mostra a verdadeira força de um clube que não se verga. E se esta época teve no presidente e no treinador, os dois principais artífices, sem esquecer todos os que estão ligados ao futebol do F.C.Porto, os jogadores - são eles que no campo conseguem os resultados que dão títulos -, deve ser elogiado também os adeptos do F.C.Porto, claques, mas não só, porque nunca desmobilizaram, mesmo em momentos que tudo parecia perdido.
    Para ver tudo isto destacado ao nível do feito conseguido, teríamos que reinventar Portugal - ver à frente mais umas coisas sobre o assunto.

    Dito isto, porque o futebol não pára e a próxima época é já ali, importa referir mais o seguinte:
    Este título foi por muitas razões, importantíssimo - nem quero imaginar o que aconteceria se o F.C.Porto não fosse campeão, tivesse de disputar uma pré-eliminatória da Champions e regressar ao trabalho já na próxima semana -, mas não é a panaceia que de repente vai resolver todos os problemas do F.C.Porto e que são muitos.
    O passivo continua em valores demasiado elevados - perto dos 450 milhões de euros -, os capitais próprios continuam negativos - acho que em cerca de 80 milhões -, entre outros encargos, há no próximo ano dois empréstimos obrigacionistas para pagar - 70 milhões. Portanto, vamos ter de vender - espero e desejo que o façamos bem -, mas em simultâneo temos de formar um plantel que esteja à altura das responsabilidades do F.C.Porto, permita ao treinador lutar por todos os objectivos internos - contra um rival que tem um presidente capaz de todas as loucuras para continuar a liderar o clube do regime. Vieira que mantém o discurso populista, demagógico e trauliteiro que o caracteriza, Vieira que promete agora aquilo que prometeu há mais de uma década e nunca conseguiu. Vieira que tem consciência que sem o chapéu do SLB, o fantasma do que aconteceu a João Vale e Azevedo o vai atormentar e de que maneira no futuro a muito curto prazo. E como treinador um bazófias, arrogante, endeusado e idolatrado, a quem tudo é permitido - e fazer boa figura na Champions, mantendo intocável o prestígio que adquiriu e o mantém como único clube fora dos cinco principais campeonatos do futebol europeu a ganhar a prova rainha da UEFA. Um feito notável, extraordinário, mas que nunca teve neste país o destaque merecido, é preciso repeti-lo até à exaustão.
    Seria sempre uma tarefa hercúlea e um grande desafio em tempos normais, muito mais difícil em tempos de pandemia... Mas que vamos ter que ultrapassar e vencer. Espero sinceramente que os erros que atiraram o F.C.Porto para uma situação dificílima não se repitam.

    O feito do F.C.Porto, CAMPEÃO e VENCEDOR DA TAÇA DE PORTUGAL, numa das épocas das mais ricas da história do futebol português, já passou para terceiro plano. Sim, pelas circunstâncias em que foi disputado; pelas alternâncias na classificação ou sobre oportunidades perdidas para remontar, ou consolidar; sobre quem se adaptou melhor a este futebol sem alma, sem entusiasmo e sem a paixão da essência do futebol, os adeptos, que ficaram do lado de fora do estádio. Pelo que foi dito sobre quem queria e não queria jogar; sobre quem trabalhou sempre ou sobre quem fez férias; sobre a influência da vitória portista no jogo do Dragão com o Benfica; sobre a entrada em falso dos azuis e brancos a que se juntou uma eliminação na pré-eliminatória da Champions que deixou marcas profundas; ou chegar a Janeiro a sete pontos do líder e a recuperação final, mesmo que ainda tenham acontecido vários sobressaltos, é um verdadeiro caso de estudo. Este campeonato e este Porto CAMPEÃO e VENCEDOR DA TAÇA DE PORTUGAl, devia merecer um tratamento justo e detalhado, honras de vários programas de rádio e televisão, destaque nos jornais. Mas como temos assistido não é nada disso que acontece. E o que vemos agora? Agora vemos novamente a exaltação e a apologia da mediocridade. Os que rasgaram as vestes pela saída de Jesus para o Sporting, já se juntaram à festa, a prostituição intelectual está aí e em força. Só dá Jesus. Voltaremos ao tempo do Iron Man, do Catedrático, Mestre da táctica e afins, a arrogância e a bazófia estão de regresso, as calinadas e pontapés na gramática voltarão a ser perdoadas, porque o homem, pasme-se, é um Doutor do Povo.

    Duas notas finais:
    O que fica para a história são os títulos, não há campeonatos onde se apurem campeões de show de bola, recitais, nota artística, ópera... Mas se este Porto é, foi sempre competitivo e não há nada a apontar à atitude, espírito de sacrificio e devemos elogiar a capacidade desta equipa para nunca ter ficado no chão, quando caiu logo se levantou. E nesta matéria é justo referi-lo, o treinador teve um papel decisivo - a chamada azia boa, que dá ganas, obriga a reagir, a uma mudança rápida de comportamentos, a depressão nunca se instalou, a vontade de querer alterar e mudar a situação, em contraponto com a azia má, aquela que deixa as pessoas incapazes de reagir, prostradas -, bem como dizer que este Porto é dos melhores de sempre no trabalhar e aproveitar os lances de bola parada, é importantíssimo no futuro melhorar na qualidade exibicional. Por todas as razões, mas porque é uma máxima do futebol, quem joga bem está sempre mais perto de ganhar.

    Se o Benfica levou uma lição daquelas que devia levar a reflectir, mas pelo que vamos vendo, não aprenderam nada, o que dizer de alguns comentadores, analistas, jornalistas, supostamente isentos? Uma vergonha, um escândalo, comportamentos que nem no tempo da outra senhora se viam.
    Que dizer de alguns desses moralistas que se apresentam como defensores de um futebol português mais competitivo, equilibrado, por isso, melhor, mas que fazem tudo e quando digo tudo, é mesmo tudo, até se prostituírem, para que o clube do regime tenha sucesso? O que dizer de alguns ratinhos, pequenos em tudo, que sonhavam com um Benfica a esmagar a concorrência e agora até estrebucham, perdem completamente a compostura e não conseguem disfarçar o incómodo que lhes causou este sucesso do F.C.Porto? Dizer-lhe, inchem, inchem muito, mas não rebentem, vocês são muito importantes para manter o F.C.Porto e os portistas em estado de alerta. Até podemos andar desencantados, tristes, zangados com algumas coisas que se vão passando no nosso clube, mas quando tocam no F.C.Porto... tocam em todos e nessa altura estamos unidos, fortes, somos sempre solidários.
    A coisa está de tal maneira em alguma comunicação social, que chegam ao ponto de mentir, sabem que estão a mentir descaradamente, mas nem se preocupam, nem se importam de ser gozados e ridicularizados. Ética, deontologia, rigor? Mas o que é isso? Dizer que Cavani pode vir para o Benfica por 2,5 milhões/líquidos /ano, mesmo com um prémio de assinatura de 8 milhões, é um bom exemplo...

    PS - Espero que o pequeno e 10 anos atrasado, clube lá do Norte, como eles costumam dizer, não seja um dos principais temas de conversa nas eleições do mais maior, melhor, grande, clube do planeta...

    Terminou com uma deliciosa dobradinha à moda do Porto, uma época que chegou a parecer perdida 01/08/2020 22:45 Dragão até à Morte


    A pressão e coacção sistemática do Benfica e da sua propaganda de cartilheiros, freteiros e recadeiros, acerca da pseuda invasão do centro de treinos dos árbitros, na Maia, com falsas ameaças a Artur Soares Dias, junto com o ataque descabido sobre a arbitragem do árbitro da AFP, no último F.C.Porto 3 - Benfica 2, em que Luís Filipe Vieira fez alusão à pastelaria do arbitro, razão para que Artur Soares Dias tenha prejudicado o SLB, uma mentira esfarrapada, deu nisto. Cobarde até dizer basta, pressionado e coagido, Artur Soares Dias prejudicou gravemente o F.C.Porto - já vi os lances, o duplo amarelo e expulsão de Luis Díaz, é surreal -, mas nem assim impediu a vitória dos Dragões.
    Ganhar ao Benfica, a jogar com 10 desde o minuto 38 da 1ª parte, foi um belo postal do que foi esta temporada. Quando ninguém esperava, o F.C.Porto levantava-se do chão, era capaz de lutar, como aconteceu hoje, contra 14 e surpreendia até os menos crentes.
    Terminou assim, com uma deliciosa dobradinha à moda do Porto, uma época muito cumprida, difícil e que chegou a parecer perdida.

    Como digo e repito muitas vezes, seria tudo tão maravilhoso no futebol e porque não, no desporto português, se o F.C.Porto estendesse a passadeira, prestasse vassalagem, se contentasse apenas com umas migalhas. Temos pena, mas não somos dessa raça...

    Nota final:
    Quando houver oportunidade falaremos desta época, uma época que fica para a história como um verdadeiro caso de estudo.




    Qual Jorge Mendes, qual carapuça... 28/07/2020 11:40 Dragão até à Morte


    Mas quem é que a SIC pensa que engana?
    Os precursores de programas onde a ética e a deontologia eram sistematicamente violadas, como Os donos da bola, mais tarde rebaptizado pelo povo do futebol, para Os porcos da bola; uma estação de televisão que num dos programas que agora termina, O dia seguinte, permitiu durante anos e anos as maiores tropelias a Rui Gomes da Silva e que só o mandou para canto quando ele se afirmou como candidato às eleições do Benfica e começou a cascar em Vieira; SIC que mantém um programa, Tempo extra, com Rui Santos, esse rato de esgoto, cuja única virtude é ser um anti-portista e pintista primário e que foi apenas com base nessas premissas que emergiu e se mantém; que escolheu Rui Santos ara participar no Play-off, junto com duas grandes figuras de F.C.Porto e Sporting, como são Rodolfo Reis e Manuel Fernandes, mais Ricardo Rocha, que não estando para o Benfica como os citados estavam para Dragões e leões, foi campeão na Luz e internacional português, apenas para perturbar, confundir, desestabilizar; sem esquecer os pré e pós match, onde alguns analistas e comentadores têm um histórico de má-língua contra o F.C.Porto, que é bem conhecido; ou, para terminar, o "Mercado aberto" em que o tempo de antena dado ao Benfica, através desse cartilheiro e vendedor de banha da cobra, Luís Aguilar, é esmagador; vêm agora falar em toxicidade, quando, no "Dia seguinte" de agora, com Vasco Mendonça, Rodrigo Roquette e Paulo Baldaia, não há qualquer comparação com o passado? Mas quem é que a SIC pensa que engana?
    Tudo isto está relacionado com as eleições do Benfica, eleições em que Vieira, acossado por todos os lados, pela 1ª vez vai ter oposição a sério. O resto é tanga...

    É falso! Sei de fonte fidedigna que quem está reservado é Nélson Veríssimo.


    Claro que o Fofa com U, não é tóxica, é uma quiduxa!



    É verdade, senhor presidente, tem toda a razão. Mas os clubes têm muitas culpas no cartório. Os clubes, como grandes sustentáculo do desporto em Portugal e que, particularmente no futebol, pagam milhões de impostos, dão empregos, directos e indirectos, a milhares de pessoas, ajudam e de que maneira, a restauração, transportes e tantas outras actividades económicas, deviam estar unidos e sem complexos, exigirem aquilo a que têm direito. Mas como andam sempre entretidos em guerras, não raras vezes, de alecrim e manjerona, dão pretextos ao governo e no caso à DGS, para tomar decisões que são autênticas aberrações. Eles sabem que tirando uma ou outra declaração, como aconteceu agora com Jorge Nuno Pinto da Costa - que nesta matéria, justiça lhe seja feita, tem sido caso único nesta luta que até ao momento é uma luta perdida -, ninguém lhes cobra nada quando tomam estas decisões, Mais, os clubes e quem os representa na FPF e LPFP, no caso do futebol, e outras federações nos chamados desportos de pavilhão, por exemplo, quando os políticos aparecem a colar-se a sucessos desportivos, colectivos e individuais, deviam ser duros a dizer-lhes que não são bem-vindos e mais que parabéns e palavras bonitas e de circunstância, querem coisas concretas e que os ajudem a ultrapassar este momento difícil, exactamente como fazem com qualquer outra actividade económica.
    E porque vem a talhe de foice, li que o governo vai autorizar a reabertura de bares e discotecas..., mas e não se riam, obriga-os a fechar às 20 horas. Se isto não é gozar com quem está ligado a estas actividades, é o quê?