F.C.Porto 5 - F.C.Arouca 1. Excelente regresso do campeão ao campeonato. Resultado peca por escasso. 28/12/2022 23:40 Dragão até à Morte


    No regresso do campeonato e sem qualquer margem de manobra, o F.C.Porto defrontou e goleou o Arouca por 5-1, resultado que podia e devia ser mais dilatado.


    Com Diogo Costa, João Mário, Fábio Cardoso, Marcano e Wendell, Otávio, Grujic, Uribe e Galeno, Veron e Taremi, o conjunto de Sérgio Conceição não podia ter começado melhor. Logo no 1° minuto, remate para golo da surpresa Veron - era o jogador mais avançado com Taremi por trás -, defesa do guarda-redes, na ressaca a bola encontrou Otávio e entrou. Não se acomodaram os azuis e brancos, foram à procura do 2°, tiveram várias jogadas perigosas, faltou muito pouco para que a vantagem aumentasse.

    Após 10 minutos muito bons e um pequeno hiato por mérito do Arouca que ajustou, dificultou e até podia ter marcado, aos 17 após uma jogada de ataque de compêndio, excelente combinação entre Veron e Teremi, com o iraniano a aumentar a vantagem.
    O jogo estava mais aberto, o conjunto de Armando Evangelista a procurar reagir, os Dragões sempre que podiam saíam com perigo.
    Grujic podia ter feito melhor à passagem da meia-hora, Não demorou a surgir o 3°. Lançado na profundidade, Taremi ganhou a frente e fez golo.
    Em cima do intervalo o mesmo jogador desperdiçou uma claríssima oportunidade para fazer um hat-trick, o 4° do F.C.Porto.

    Assim e no final dos primeiros 45, uma excelente exibição do campeão e como corolário uma vantagem de três golos que ainda podia ser mais alargada.

    Depois de uma primeira-parte muito bem conseguida, importante não relaxar, procurar aumentar o resultado. Que só não aconteceu por milagre aos 47, aconteceu no minuto 50, novamente pelo suspeito do costume, Mehdi Taremi.

    Continuou a jogar bem e a procurar mais golos o conjunto de Sérgio Conceição, mas faltava alguma clarividência, definir melhor, assentar, não inventar. Galeno falhou por pouco o 5°, voltou a estar perto golo passados poucos minutos, golo que entraria aos 69. Um passe de Taremi para Toni Martínez sofreu um desvio do defesa do Arouca para a sua baliza. Toni que marcou, mas o golo foi invalidado, estava adiantado. Quando se esperava o 6º dos azuis e brancos, asneira grossa de Pepê, perdeu a bola em zona proibida, reduziu o conjunto visitante.

    Aos 69 minutos saíram Uribe, Veron, Galeno, entraram Eustaquio, Pepê e Toni Martínez. Mais tarde, minuto 83, saíram João Mário e Taremi, entraram Rodrigo Conceição e Namaso

    Com as substituições o jogo do F.C.Porto perdeu alguma fluidez, qualidade, Marcano marcou, mas não valeu por fora-de-jogo - devia ter entrado na cabeçada de Fábio Cardoso. Toni Martínez desperdiçou incrivelmente mais um golo, o jogo terminou com a goleada que ainda podia ter sido bem mais expressiva.


    Resumindo, regresso em grande dos campeões ao campeonato, com algumas exibições individuais de alto nível, num colectivo que funcionou muito bem quase o tempo todo.



    Um jornal casa vez mais sectário, fundamentalista, extremista.

    Com este critério editorial Jorge Nuno Pinto da Costa tinha sido, pelo menos, 30 vezes o homem do ano. Quantas vezes foi?
    Sendo o futebol sénior o que verdadeiramente importa, o que ganhou Rui Costa? Bola, como dizia o outro, o treinador que ele despediu.
    - Bonzinho, dizer para teres vergonha na cara seria pura perda de tempo. Nunca tiveste, nunca vais ter. Nunca vais passar de um freteiro, recadeiro, cartilheiro, um comissário ao serviço do Benfica.
    Se queriam dar o prémio a alguém do Benfica, ó morcão, davam a alguém fora do futebol, ao Fernando Pimenta como deram ao Miguel Oliveira. 

    Caixa de comentários


    Para todos um Santo e Feliz Natal 24/12/2022 09:13 Dragão até à Morte


     

    Neste momento complicado que o Mundo atravessa, desejo a todos um Santo e Feliz Natal. Principalmente com muita saúde, porque havendo saúde todas as dificuldades são mais facilmente ultrapassáveis.


    F.C.Porto 2 - Gil Vicente 0. Sem deslumbrar, Dragão está mais uma vez na final-four 21/12/2022 23:03 Dragão até à Morte


    Com o Académico de Viseu já apurado para a final-four e à espera de adversário, F.C.Porto e Gil Vicente enfrentaram-se para saber quem disputaria com os viseenses o acesso à final da Taça da Liga. É o F.C.Porto.

    Passe de Otávio para a profundidade de Galeno e este sozinho na cara do guarda-redes não perdoou. Após demasiado tempo para comunicar a validade do lance, lá chegou e com o VAR a dar o OK ao golo, portistas muito cedo na frente.

    Em vantagem os Dragões foram à procura de aumentar a vantagem, tiveram algumas  oportunidades, mas também permitiram que os gilistas colocassem Cláudio Ramos várias vezes à prova.

    A prestação da equipa campeã nacional após o golo logo no início do jogo, não sendo tão pobre como frente ao Vizela, principalmente nos primeiros 20 minutos, depois também não foi muito inspirada. O intervalo chegou com o Gil mais perto do empate que os azuis e brancos de aumentar a vantagem. Aliás, ao intervalo o empate era o resultado mais justo.


    Com Evanilson no lugar de Toni Martínez, a questão que se colocava era saber se tal como aconteceu no jogo anterior a segunda-parte seria bem melhor, ou o nível exibicional iria continuar baixo.

    Começou bem a etapa complementar, mas logo no início um grande contratempo: Evanilson que tinha entrado há pouco, lesionou-se, deu lugar a Pepê. Apesar do infortúnio do jogador brasileiro, o F.C.Porto continuou por cima à procura do segundo golo. 

    Com Gil reduzido a 10 por expulsão de Danilo Veiga, aos 63, as coisas na teoria ficavam facilitadas, mas era fundamental provar.

    Confirmou-se o melhor dos cenários, Taremi aos 68 minutos fez o segundo golo dos Dragões, tudo ficou mais encaminhado para a equipa de Sérgio Conceição.

    Com menos um jogador e a perder por 2-0, o Gil perdeu o fulgor da parte final da primeira-parte, o F.C.Porto criou e desperdiçou algumas boas oportunidades para aumentar a contagem, não conseguiu, o jogo terminou com a vitória justa dos portistas que assim estão na final-four onde vão defrontar o Académico de Viseu.

    Também jogaram Gonçalo Borges entrou para o lugar de Pepê, Rodrigo Conceição no de João Mário e André Franco no de Otávio.


    Mais uma vez Cláudio Ramos provou que é guarda-redes de equipa grande.


    Como é que a arbitragem portuguesa pode ser levada a sério se até num jogo sem grandes dificuldades Manuel Mota errou tanto?


    Perguntas ao jornalista Júlio Magalhães

    Não acha que o conteúdo daqueles e-mails onde fica evidente o compadrio, promiscuidade, as relações perversas entre gente com altos cargos no Benfica e gente importantíssima no sector da arbitragem, e-mails que mostram a verdadeira dimensão daquilo que foi designado por Polvo Encarnado, eram suficientemente relevantes e de interesse público?


    Acha que se a CMTV, SICN, CNN... os tivessem em seu poder não os iam divulgar, fazer programas sobre o assunto, mesmo que a tentação para branquear e não lhes dar a importância que têm fosse muita?


    Finalmente, mas se a divulgação dos e-mails no Porto Canal violava a sua consciência, a sua ética e deontologia, porque não se demitiu imediatamente?

    Caixa de comentários

    F.C.Porto 4 - F.C.Vizela 0. Excelente segunda-parte na origem da goleada 16/12/2022 23:12 Dragão até à Morte


    Sendo obrigado a vencer para se pôr a coberto de qualquer surpresa vinda do outro jogo do grupo A entre o Chaves, já sem hipóteses e o Mafra ainda na luta pelo apuramento, o F.C.Porto não podia ter melhor início. Erro clamoroso do guarda-redes do Vizela, Toni Martínez aproveitou e adiantou os Dragões ainda não se tinha esgotado o 1° minuto.

    Em vantagem desde muito cedo, o conjunto de Sérgio Conceição nem por isso se inspirou e o jogo foi decorrendo sem grandes motivos de interesse, mastigado, mal jogado, chegou ao intervalo com o resultado na vantagem mínima para os azuis e brancos.


    Depois de uma primeira-parte de difícil digestão, para a segunda entraram Otávio, Evanilson e Taremi, saíram João Mário, Namaso e Toni Martínez - mais tarde também entraram Rodrigo Conceição e Veron, saíram Galeno e Pepê - e jogando bem melhor, a um nível muito mais próximo do seu valor, o F.C.Porto fez mais três golos - marcaram Galeno, Wendell e Taremi -, chegou com naturalidade à goleada, vai defrontar o Gil Vicente nos quartos-de-final - jogo a disputar no dia 21 deste mês pelas 20:15 no Estádio do Dragão.


    Caixa de comentários



    Portugal 0 - Marrocos 1. Quando o melhor jogador e único que esteve a um nível elevado, tem 39 anos... 10/12/2022 17:23 Dragão até à Morte


    Depois da excelente exibição e da goleada à Suiça, Portugal tinha pela frente a grande surpresa do mundial a selecção marroquina acabada de eliminar a Espanha, uma das favoritas a vencer a prova.

    Com Diogo Costa, Calor, Pepe, Rúben Dias e Raphael Guerreiro, Otávio, Rúben Neves, Bernardo Silva e Bruno Fernandes, João Félix e Gonçalo Ramos, Portugal tendo pela a frente uma equipa africana de tracção à retaguarda, precisava de ser paciente, mas sem abusar, procurando os espaços, ora através da bola no pé, jogadas de envolvimento, no desequilíbrio individual, na surpresa da profundidade, com qualidade de passe e critério, sempre com atenção aos contra-ataques dos marroquinos. 

    Os primeiros 45 minutos foram de muita bola, mas muito no seu meio-campo, por parte de Portugal. Ritmo lento, pouca dinâmica, um seis, Rúben Neves que apenas jogava para o lado e para trás, zero jogadas de perigo, Marrocos a defender com todos e quando podia a sair rápido para o ataque e até a ser mais ameaçador e melhor que Portugal. Já quase em cima do intervalo, cruzamento para a área, péssima saída de Diogo Costa, golo de Marrocos e não se podia dizer que era um resultado injusto. 


    A perder era preciso reagir, mas a segunda-parte começou como terminou a primeira. Livre com o perigo a rondar a baliza portuguesa, Diogo Costa a defender por instinto.

    Depois do aviso, Fernando Santos meteu Cancelo e Cristiano Ronaldo, tirou Raphael Guerreiro e Rúben Neves, Portugal foi à procura do empate.

    Gonçalo Ramos falhou uma oportunidade clara, Bruno Fernandes esteve perto do golo.

    Mais duas substituições, saíram Gonçalo Ramos e Otávio - sou suspeito, gosto muito do Otávio, mas não percebi. Talvez Otávio precise de fazer umas voltinhas, rodar, sem sair do sítio, jogar para o lado e para trás... - entraram Rafael Leão e Vitinha.

    Domínio total da equipa portuguesa, Marrocos defendia, contra-atacava cada vez menos, Dalot saiu lesionado, entrou Ricardo Horta, mas o domínio esbarrava na muralha defensiva dos africanos.

    Bonou fez uma grande defesa a remate de João Félix. Já no tempo de descontos Ronaldo perto do empate, foi expulso um marroquino, Diogo Costa evitou o segundo, Pepe falhou por pouco, Portugal fora do mundial. 


    Notas finais:

    Um erro de Diogo Costa e uma equipa sem um  ataque capaz de fazer um golo, mesmo quando teve quase sempre a bola nos segundos 45 minutos.


    Quando o melhor jogador português tem 39 anos... as tão badaladas vedetas deviam sentir vergonha. Pepe foi o único que esteve a um nível elevado o que não é nada abonatório para a dita geração de ouro.


    Caixa de comentários


    G.D.Chaves 0 - F.C.Porto 2. Dragões vitoriosos no dia em que nasceu uma nova estrela da arbitragem portuguesa 08/12/2022 22:20 Dragão até à Morte


    Não vi o jogo, apenas vi o resumo, não posso ter uma opinião minimamente fundamentada e objectiva sobre o que aconteceu em Chaves. Por isso, importa realçar a vitória que coloca o F.C.Porto bem posicionado para seguir em frente. Importa realçar também os dois golos de Namaso.

    Segundo me disseram e fui vendo e lendo, o cavalheiro da foto, o árbitro Cláudio Pereira, mostrou que tem um enorme potencial, um talento nato, não admira se rapidamente chegar a internacional. 


    Caixa de comentários




    Portugal 6 - Suíça 1. Nos quartos com brilhantismo 06/12/2022 21:32 Dragão até à Morte



    Com muitos casos e polémicas pelo meio, todas com origem em Cristiano Ronaldo - começou com a entrevista a Piers Morgan, passou pela rescisão com o Manchester United, continuou com as palavras pouco simpáticas para com o seleccionador, terminou na ida ou não para a Arábia Saudita -, Portugal goleou a Suíça e está com toda a justiça nos quartos do mundial.

    Entrada muito tremida da equipa de Fernando Santos, soltou-se pela primeira vez numa subida de Pepe, na segunda fez golo, um grande golo de Gonçalo Ramos.
    Após chegar à vantagem a equipa portuguesa melhorou, num canto Pepe subiu ao terceiro andar e fez o 2°. A Suíça estava obrigada a reagir, reagiu, a baliza de Diogo Costa correu perigo, mas não passou muito tempo até Gonçalo Ramos falhar um golo cantado quando se isolou e ficou na cara do guarda-redes. 
    Até ao intervalo Portugal mais perigoso e melhor no jogo, mas nada mais aconteceu 

    Com dois golos de vantagem era fundamental não inventar, manter a concentração e organização, defender e contra-atacar bem. E não podia começar melhor a etapa complementar para Portugal. Cruzamento de Diogo Dalot, para a entrada ao primeiro poste de Gonçalo Ramos, estava feito o terceiro golo da equipa das quinas. Não demorou muito tempo até que numa jogada de compêndio que começou num toque de calcanhar de Otávio para João Félix, passe para Gonçalo Ramos, este assistiu Raphael Guerreiro e estava feito o 4º.
    Num canto e numa má abordagem defensiva da equipa portuguesa, a Suíça reduziu - para memória futura: não se podem sofrer golos destes.
    Era preciso deixar de pensar que o jogo tinha terminado, importante acordar e voltar ao jogo.
    Portugal voltou. Bola recuperada no meio-campo - Otávio ou Bernardo? -, chegou a João Félix, passe para Gonçalo Ramos e hat-trick do jogador do Benfica e 5º de Portugal.
    Quase de seguida entraram Ricardo Horta, Vitinha e Cristiano Ronaldo, saíram Otávio, João Félix e Gonçalo Ramos. Depois Bernardo Silva deu lugar a Rúben Neves.
    Para tudo terminar em beleza, Rafael Leão que tinha pouco antes para o lugar Bruno Fernandes, fez um golo extraordinário e fechou o resultado numa goleada de 6-1.

    Com um jogo muito acima daquilo que tem produzido nos últimos tempos, com muitos jogadores com grandes exibições potenciadas por colectivo forte, Portugal carimbou a passagem aos quartos-de-final com um brilhantismo que nem os mais optimistas esperariam.
    Agora frente a Marrocos, em que é favorito, Portugal precisa provar em campo esse favoritismo. Não inventar no banco nem dentro das quatro linhas, é o primeiro passo. Ser humilde - que ninguém se coloque em bicos pés, nada de vedetismos, já basta o que basta -, respeitar o adversário é o segundo, jogar colectivamente para que novamente as individualidades possam sobressair.

    Nota final:
    Ó Tadeia tu nunca vês o Otávio? Olha que ele é pequeno, mas só na altura. No resto é um gigante e se não vês ou és cego ou não percebes nada bola... para não dizer que tens qualquer pedra no sapato em relação ao jogador do F.C.Porto. 

    Coreia do Sul 2 - Portugal 1. Derrota deve servir de reflexão para a forma como se abordam os jogos. 02/12/2022 18:00 Dragão até à Morte

     

    Não podia ter começado melhor o jogo para Portugal. Futebol simples, passe de Pepe para a profundidade de Diogo Dalot, drible e assistência para o remate de Ricardo Horta que abriu o activo.A Coreia do Sul empatou, mas não valeu, o coreano estava fora-de-jogo. Ficou o aviso, frente a uma equipa portuguesa que deu a iniciativa ao adversário, limitava-se a esperar, raramente saía para o ataque.

    De canto, com a bola a bater em Cristiano Ronaldo e a ficar à mercê de um coreano que sozinho na cara de Diogo Costa, empatou. Fez-se justiça, o golo castigava a postura passiva da equipa de Fernando Santos.
    Ronaldo continuava muito lento a sair da posição irregular, as dificuldades da equipa das quinas para aparecer na frente com perigo era notórias, só num lançamento longo de Diogo Costa, o guarda-redes asiático foi chamado a intervir.
    Nos últimos 10 minutos Portugal finalmente apareceu a jogar ao nível que se lhe exige, Cristiano Ronaldo falhou uma boa oportunidade para desempatar, o intervalo chegou com os portugueses por cima e a merecerem outro resultado.

    A equipa portuguesa não sofreu alterações para a segunda-parte e entrou a dominar. Mais bola, mais iniciativa, mais ataques, mas faltava acutilância na frente de ataque. Pior, a tentação de jogar para Ronaldo, prejudicava a equipa de Portugal.
    Aos 65 minutos saíram Matheus Nunes, Rúben Neves e o aziado Cristiano Ronaldo - quando se alimenta uma tese, absurda, de um record patético, como se marcar mais golos em cinco mundiais tenha alguma coisa a ver com os golos marcados apenas num -, entraram João Palhinha, Rafael Leão e André Silva. Portugal demorou a voltar ao bom início da segunda-parte, tardou a encontrar o ritmo correcto.
    Bernardo Silva e William Carvalho entraram para os lugares de Vitinha e João Mário aos 82 minutos, a qualidade de jogo continuou baixa, num canto a favor de Portugal, equipa portuguesa muito mal na abordagem ao lance, descompensada, permitiu que Son corresse 70 metros com a bola, assistisse para o segundo golo da Coreia do Sul. 

    Nota final
    Talvez a derrota até tenha sido injusta, mas a forma relaxada, mesmo desleixada, como a equipa portuguesa jogou durante grande parte dos 90  minutos, teve como corolário a derrota. mesmo que o principal objectivo de passar aos oitavos e no 1° lugar no grupo tenha sido conseguido. Se é preciso ter sempre o espírito correcto, num campeonato do mundo nem se fala.
    O paradigma dessa falta de atitude é Rafael Leão. Talvez não goste de ser suplente, mas não é com prestações de prima dona que se prova que se merece ser titular.
    Quando já havia muita euforia, já se falava em título mundial, que esta derrota sirva para todos caírem na real, de reflexão para a forma de abordagem aos jogos.


    F.C.Porto 2 - G.D.Mafra 2. 1ª parte muito má, 2ª melhor, mas não deu para ganhar 25/11/2022 23:15 Dragão até à Morte

     

    Na 1ª jornada da fase de grupos da taça da liga, o F.C.Porto defrontou e empatou com o G.D.Mafra a dois, depois de ter estado a perder ao intervalo por dois a zero

    A primeira-parte foi muito fraca. A facilidade como o Mafra chegou ao 1° golo é de bradar aos céus, a forma como Bruno Costa aborda o lance que deu origem ao penálti e ao 2° golo do conjunto de Ricardo Sousa, não lhe fica atrás. E não vale a pena dizer mais nada.


    Depois de ter feito 45 minutos muito abaixo dos mínimos exigíveis, a 2ª parte do F.C.Porto só podia ser melhor.
    Rodrigo Conceição e Bruno Costa ficaram nas cabines, no seu lugar entraram João Mário e Dany Namaso - mais tarde entrariam Wendel Silva e Bernardo Folha, saíram Wendell e André Franco. E quando logo aos 4 minutos Pepê reduziu, estavam reunidas as condições para tudo ser diferente na etapa complementar. 
    Foi. O F.C.Porto sem atingir um nível elevado, carregou, criou oportunidades para marcar mais golos, chegou ao empate aos 70 minutos por Toni Martínez, mas foi incapaz de consumar a reviravolta.

    Nota final:
    Aqueles que não são normalmente utilizados desaproveitaram uma oportunidade de mostrar serviço. Mas como acho e não é de hoje, que este é o plantel mais fraco dos últimos muitos anos...
     
     Faleceu Fernando Gomes.
    Paz à sua alma.
    À família, amigos e ao FCP, os meus mais sentidos pêsames.




    O Tone pergunta e o Quim responde. Tem Galeno, Tavinho, Sérgio, JJ, Schmidt e mais umas coisitas... 15/11/2022 10:14 Dragão até à Morte


    - Quim, achas que se o Galeno, que já tem dupla nacionalidade, fosse jogador do SLB e estivesse na forma que está, a campanha Galeno à selecção, já estava no terreno faz tempo, Galeno ia ao mundial de caras?


    - Tone estás a insinuar que há filhos e enteados? Que as pressões externas, nomeadamente de alguns OCS, sem esquecer a Gestifute, condicionam a escolha do seleccionador? 

    - Quim, não, Deus me livre, mas o António Silva, 20 jogos na equipa principal do SLB, sem internacionalizações nos sub-21, vai ao Catar...

    - És mesmo Tone e não é só de nome. Tu não ouves o David Borges? Tu não ouviste ele dizer que o António Silva é o melhor central português do momento? Está lá por mérito próprio, é um central fantástico, ponto.

    - Quim, OK, OK, mudemos de assunto. 
    Será que concordas comigo se eu disser que depois do na passado ter havido a campanha, Deixem jogar o Mantorras, também devia haver agora a campanha: Deixem jogar o Tavinho?

    - Tone, vou ser teu amigo. É verdade que, como se viu no sábado, vale tudo para travar o 25 do F.C.Porto: entradas perigosas por trás, joelhadas na perna e cotoveladas nos queixos, no Bessa foi canela até ao pescoço. Mas não os lês e ouves? Não vês que a culpa é do Tavinho? Do seu mau feitio, é chato, agressivo... 

    - Quim, já que te ficas pelas reticências, vou concluir por ti: joga muito e é do F.C.Porto.

    - Mas esta, Quim, não te vais encolher.
    O vazadouro da queimada agora faz sondagens. Uma foi: "Acha que Sérgio Conceição é perseguido pelos árbitros? Sim ou não?"

    - Ó Tone, querido Tone, essas sondagens são como a pescada, antes de ser já eram. 
    Esperavas que num panfleto ao serviço do SLB, onde a grande maioria de participantes são benfiquistas e anti-portistas, esse tipo de sondagens desse um resultado diferente de, não, Sérgio Conceição não é perseguido pelos árbitros? Eles já sabem a priori qual vai ser o resultado. É o cúmulo da desonestidade intelectual. Se o Vila Pouca fizesse uma sondagem e perguntasse: A Bola é um jornal sério, sim ou não? Qual seria o resultado?

    - Quim, acho que 99% responderia não, a Bola, também conhecida por panfleto ou vazadouro da queimada, não é um jornal sério. E antes que digas alguma coisa, digo que sim, por exemplo, em comparação com JJ, Sérgio Conceição é perseguido pelos árbitros. Compara as expulsões e os castigos de um e outro...

    - Tone, o Iron Men, Exterminador Implacável, Catedrático, Doutor do Povo, Mestre da Táctica, como eles o tratavam, não era perseguido pelos árbitros? 

    - Não, Tone, ele sabia muita coisa... não viste o que aconteceu num jogo, acho que em Moreira de Cónegos, quando ele estava no Sporting, com o aviso ao 4º árbitro que o Jorge Ferreira, o conhecido Esquiça de Fafe, se pusesse fino que ele sabia muita coisa?

    - E para finalizar esta série de perguntas, Quim, o Roger Schmidt quando perguntado o que achava da arbitragem portuguesa, disse: "Honestamente, acho que fazem um bom trabalho. Vi ótimas prestações dos árbitros na nossa Liga. Tenho uma ideia positiva sobre eles".

    - Ó Tone, fazes cada pergunta... Pudera, só faltava ele queixar-se das arbitragens quando tem vários pontos a mais...

    Boavista F.C. 1 - F.C.Porto 4. Sem deslumbrar, campeões golearam e cumpriram o principal objectivo antes da pausa 12/11/2022 23:11 Dragão até à Morte


    Muito apoiado por um imenso mar azul, o F.C.Porto de início com Diogo Costa, Pepê, Fábio Cardoso, Marcano e Wendell, Otávio, Uribe, Eustaquio e Galeno, Taremi e Evanilson, entrou por cima, muita bola, no espaço de um minuto, entre o 6 e 7, Galeno primeiro e Evanilson depois, falharam duas grandes oportunidades na cara de Bracali. Só dava Porto, mas faltava mais critério na definição, mais atenção e concentração para fugir ao fora-de-jogo, contundência na frente e eficácia na conclusão.

    Entretanto Otávio era constantemente travado em falta, enquanto Evanilson ainda não tinha acordado para o jogo. Era preciso acelerar, melhorar a qualidade no último terço. Durou cerca de 20 minutos o bom período dos portistas, depois o jogo arrastou-se, a promessa de um grande Porto perdeu-se, as asneiras sucediam-se, os maus passes também, era ver quem asneirava mais.

    Foi já com o intervalo à vista, minuto 41, quando a qualidade da exibição deixava a desejar e após um canto, Marcano apareceu de trás e adiantou os portistas.

    Até ao intervalo apenas de registar um lance em que Evanilson saiu muito queixoso e nada mais.

    Resumindo, Dragões entraram bem, criaram, desperdiçaram, pioraram bastante, chegaram ao golo que lhes dava uma vantagem justa, já numa fase em que estavam muito pouco inspirados.


    Para a segunda-parte não veio Evanilson, entrou Toni Martínez, esperava-se que o F.C.Porto não cometesse os mesmos pecados do jogo dos Açores frente ao Santa Clara, descansasse à sombra da diferença mínima.

    O jogo recomeçou com a bola a rondar as duas áreas, mas o Boavista parecia mais atrevido, os médios do campeão não só não pegavam no jogo como raramente entregavam bem. A excepção era Otávio.

    Toni Martínez podia ter decidido melhor, mas encontrar um jogador inspirado na equipa do F.C.Porto era difícil, apenas Galeno fazia bem. Tão bem que arrancou o segundo amarelo a Cannon.

    Contra 10 as coisas ficaram mais fáceis para os campeões, mas era preciso passar da teoria à prática. Foi o que aconteceu. Eustaquio aumentou a vantagem concluindo uma bela jogada de ataque.

    Tudo jogava a favor dos Dragões, era preciso jogar fácil, não complicar, gerir bem, não correr riscos. 

    O Boavista atirou ao poste, na frente os pupilos de Sérgio Conceição pareciam apostados em facilitar a vida aos axadrezados.

    Aos 79 minutos saíram Pepê e Taremi, entraram Rodrigo Conceição e Grujic.

    Galeno, talvez o melhor em campo, fez o terceiro, acabou com todas as dúvidas.

    Ainda entraram Pepe e Bruno Costa e saíram Fábio Cardoso e Eustaquio, 

    Luís Godinho tinha que deixar a sua marca, inventou uma falta com cartão a Uribe, - pareceu um corte normal -, o Boavista reduziu, mas Galeno na resposta voltou a marcar e fechou o marcador.


    Concluindo, sem deslumbrar, o F.C.Porto venceu justamente, fez o que tinha de fazer, conseguiu uma vitória importante antes da pausa para o mundial.


    Notas finais:

    Com a complacência de Luís Godinho, Otávio passou 90 minutos a levar porrada, podia ter saído lesionado com gravidade, ficar fora do campeonato do Mundo.


    As jogadas bonitas, com boas opções, boas decisões, qualidade de passe, preferencialmente que terminem golo - nem peço tanto -, têm de acontecer mais vezes. Há jogadores que parecem apostados em complicar mesmo as coisas mais simples.

    Caixa de comentários