Ainda não foi desta: FC Porto perde com City e continua sem vencer em Inglaterra sapo.pt 21/10 - Quarta, às 20:55

    O FC Porto entrou com o 'pé esquerdo' na edição 2020/21 da Liga dos Campeões ao perder com o Manchester City por 3-1, em encontro da 1.ª ronda do Grupo C da prova. No Ethiad, os 'dragões' fizeram uma grande primeira parte, criando três oportunidades de golo mas só conseguiram marcar por Luis Diaz, que deu vantagem aos campeões portugueses. Aguero empatou ainda no primeiro tempo, num penalti muito contestado, Gundogan e Ferrar Torres fizeram os outros tentos no segundo tempo. Este foi 21.º jogo em Inglaterra e a 18.ª derrota.

    Este é o terceiro jogo sem vencer do FC Porto, depois do empate no clássico com o Sporting e da derrota em casa com o Marítimo, todos para I Liga.

    Estatística. Esta era a palavra que Conceição não queria ouvir na antevisão do encontro, mas era impossível contorna-la: nunca, em momento algum, o FC Porto vencera em solo inglês para as provas da UEFA. E frente a este riquíssimo Manchester City, o historial era também não era animado: em 2012, numa eliminatória entre ambos na Liga Europa, os 'dragões' perderam no Ethiado por 4-0.

    Para contrariar a história e os números da estatística, Sérgio Conceição montou uma equipa à... Manchester City. Um 3-5-2 que, em processo defensivo, transformava-se num 5-4-1, com Marega sozinho na frente e Luis Diaz a fechar na ala. Sarr estreou-se na equipa, formanod um trio de centrais com Pepe e Mbemba, Corona voltou a ser lateral/ala direito. O jovem Fábio Vieira foi a principal surpresa, atuando na zona intermédia, num lugar que devia ser de Otávio mas o brasileiro nem no banco esteve. O povoamento da zona central impedia os 'citizens' de explorar essa zona, onde são muito fortes. Nas alas, Zaidu e Corona tinham a ajuda de Luis Diaz e Fábio Vieira para travar Sterling e Mahrez. De referir que os portugueses do City estavam em campo: Rúben Dias, João Cancelo e Bernardo Silva.

    O 3-5-2 tinha também a preocupação de pressionar o City na primeira zona de construção com mais efetividade. E foi assim que surgiu o 1-0. Rúben Dias pedeu para Uribe, o colombiano meteu logo em Luis Diaz para uma atuação a solo: arrancou, foi deixando adversários para trás durante 40 metros antes de disparar, já dentro da área, para o 1-0. Onze anos depois, outro Diaz marcava um golo do FC Porto em Inglaterra: o último tinha sido o argentino Mariano, nesta mesma cidade, no empate 2-2 com o Manchester United, para a Champions. Jesualdo era o treinador.

    Feito o mais difícil, era importante aguentar as primeiras reações dos vice-campeões ingleses. Não aconteceu. Aos 17 minutos, após vários ressaltos, Pepe fez falta sobre Sterling dentro da área, depois de um remate ao poste. O lance devia ser anulado pelo VAR já que Gundogan pisa Marchesin, antes de a bola chegar a Sterling. Após conversa com o VAR, o lituano Aleksandrs Golubevs, o árbitro do encontro, Andris Treimanis, também da Lituânia, assinalou mesmo penálti, que Aguero converteu, fazendo o seu 40.º golo na Champions. Marchesin ainda tocou na bola mas insuficiente para parar o tiro do seu colega de seleção, aos 20 minutos.

    Um lance muito contestado pelos campeões portugueses, que pediam falta mas o VAR assim não entendeu, após conversa com o árbitro. Pouco tempo depois, em lance semelhante no meio-campo, o lituano Andris Treimanis já marcou falta de Walker sobre Marega e mostrou amarelo ao inglês. Dois lances iguais com interpretações diferentes, em prejuízo para os portugueses.

    A pressão portista podia ter dado resultado aos 23 minutos. Ederson fez um mau passe, Uribe recuperou e rematou de pronto, para fora, quando até tinha colegas em melhores posições. Uma grande oportunidade desperdiçada. A outra perdida veio no minuto 44: Corona lançou Marega que fez bem a diagonal, meteu logo na área onde apareceu Rúben Dias a cortar para a sua baliza. Em cima da linha apareceu Kyle Walker a afastar o esférico.

    Ao intervalo, o resultado era lisonjeiro para... o Manchester City.

    O segundo tempo arrancou com um forte remate de Bernardo, de fora área, para boa defesa de Marchesin, aos 50, e com um sprint de Luis Diaz, aos 53, mas o colombiano perdeu-se em fintas e a bola.

    Com maiores dificuldades para sair, Conceição trocou Luis Diaz por Manafá, adiantando Corona no terreno. Mas viria a ser o City a marcar, aos 64 minutos, em outro lance contestado pelos 'dragões'. O juiz do encontro assinala falta de Fábio Vieira em zona perigosa, Gundogan mostrou qualidade e fez um golaço, aos 64 minutos.

    Já com Ferran Torres e Phill Foden nos lugares de Aguero e Gundogan, os 'citizens' fizeram o terceiro golo aos 73 minutos. Manafá estava fora do seu lugar, Foden meteu em Ferran Torres que deu um 'nó' em Pepe e atirou a contar. 3-1, resultado castigador para o que o FC Porto tinha feito até então.

    Reagiu Conceição de imediato, lançando Nanu, Nakajima, Taremi e Evanilson, nos postos de Zaidu, Corona, Fábio Vieira e Sarr, para jogar os derradeiros 12 minutos em 4-4-2. Era o tudo ou nada. A verdade é que o FC Porto perdeu identidade, deu mais espaço para os ingleses e só não sofreu mais porque não calhou.

    Viria a ser o City a estar perto do golo, em duas ocasiões mas Marchesin negou as intenções a Rodri e Marehz.

    Terceiro jogo do FC Porto sem vencer, depois da derrota com o Marítimo em casa e o empate 2-2 com o Sporting. Conceição tem de estar preocupado com a forma como a equipa defende: em cinco jogos, sofreu nove golos.

    Fundão autoritário goleia Belenenses zerozero.pt 21/10 - Quarta, às 20:02

    Se há ocasiões em que o resultado final é fiel amostra daquilo que aconteceu em campo, a goleada aplicada pelo Fundão ao Belenenses esta quarta-feira, em encontro atrasado da primeira jornada, é uma delas. No Municipal do Fundão, venceu quem mais iniciativa teve e mais e melhores ocasiões de golo criou. Muralha do Restelo quebrou ao cabo de 16 minutos O encontro desde cedo revelou uma tendência inequívoca: Fundão dominador com mais iniciativa perante uma formação do Belenenses mais baixa na quadra, apostada em surpreender em transição. As primeiras grandes ocasiões do encontro foram pertencendo ao Fundão, formação apostada em contrariar a organização defensiva adversária. As tentativas de finalização da equipa da Desportiva foram esbarrando no guarda-redes Gilberto Neto que, a meio da primeira parte, já merecia honras de figura do encontro. Curiosamente, a primeira ocasião soberana para marcar até haveria de pertencer ao Belenenses, com Telmo Sousa a atirar à barra após boa iniciativa de Nardinho. O maior ascendente fundanense surtiu efeito em termos práticos à passagem do minuto 16. Após tanta resistência, só um golpe de mestria poderia desbloquear a situação: Mário Freitas, com uma grande jogada individual, “picou” a bola por cima de Gilberto para o 1-0. O segundo golo não tardou a aparecer e, sem dar tempo ao Belenenses para esboçar uma reação, Peléh atirou para o 2-0. Apesar da vantagem fundanense, a toada não se alterou e ao intervalo o resultado assinalava vantagem local por duas bolas a zero. Se a resistência do Belenenses na primeira parte durou cerca de 16 minutos, na etapa complementar, bastaram dois minutos para que o resultado ganhasse outra expressão. Jair, a partir da esquerda do ataque fundanense, atirou a contar e deixou a formação que viajou da capital numa posição ainda mais delicada no encontro. O maior ascendente caseiro viria a surtir efeitos passados quatro minutos: dentro da área, assistido por Mário Freitas, Pedro Senra atirou a contar e fez o 4-0. O Belenenses esteve na iminência de reduzir por Nardinho, sempre um dos mais inconformados da turma do Restelo, mas Meira negou o golo em cima da linha, lançou a transição e, fazendo “jus” à velha máxima “quem não marca, sofre”, foi o conjunto local que dilatou a vantagem, desta feita por intermédio de Sévio, jovem emprestado pelo Sporting. Com o Fundão em vantagem por cinco golos de diferença, a intensidade do encontro caiu, o Belenenses teve mais bola e os dois guarda-redes foram chamados a intervir. O resultado não viria a sofrer alterações e a equipa técnica composta por João Nuno Ribeiro, Nuno Couto e Luís Almeida promoveu ainda duas estreias na Liga Placard 2020/21: Felipe Leite, pivot proveniente do futsal japonês que obrigou Gilberto a intervenção “apertada” e Tiago Couto, jovem guarda-redes que chegou à Beira Baixa após representar o Benfica. O Fundão somou a segunda vitória na Liga Placard 2020/21 e viaja até à Quinta dos Lombos no próximo sábado, ao passo que o Belenenses sofreu a primeira derrota ao segundo jogo na competição e receberá o Futsal Azeméis no próximo fim-de-semana.

    Football Leaks: Amadeu Guerra diz que DCIAP recusou informação obtida de forma ilícita sapo.pt 21/10 - Quarta, às 19:04

    O ex-diretor do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), Amadeu Guerra, afirmou hoje no julgamento do processo ‘Football Leaks’ que o organismo recusou sempre investigar com base em informações obtidas de forma ilícita.

    Ouvido na qualidade de testemunha na 15.ª sessão do julgamento que decorre no Tribunal Central Criminal de Lisboa, o magistrado jubilado do Ministério Público (MP) vincou perante as questões dos advogados de defesa de Rui Pinto que essa sempre foi a linha de atuação enquanto liderou o órgão da magistratura entre março de 2013 e janeiro de 2019.

    “Enquanto estive no DCIAP, nós não considerávamos os aspetos relativos com informação obtida ilicitamente”, afirmou Amadeu Guerra, em sentido contrário à colaboração entretanto estabelecida entre o criador da plataforma e as autoridades. Paralelamente, o ex-diretor do DCIAP admitiu que “há vários processos investigados relativamente a clubes e jogadores”, mas sem nunca confirmar se essas diligências tinham como base as denúncias do ‘Football Leaks’.

    Questionado pela juíza Margarida Alves se - à imagem do que ocorreu noutros países - tinha conhecimento de investigações das autoridades tributárias a partir dos dados divulgados pela plataforma eletrónica criada por Rui Pinto, Amadeu Guerra voltou a não ser claro: “Não sei se a Autoridade Tributária se serviu de alguma desta informação, sei que há inquéritos.”

    O advogado do principal arguido, Francisco Teixeira da Mota, confrontou também o antigo responsável do DCIAP com o aparentemente pequeno número de inquéritos relacionados com o futebol que redundaram efetivamente em acusações, sobretudo face à criação em 2018 de uma equipa especial com três magistrados para seguir esta área. No entanto, o procurador jubilado assegurou ter-se desligado dos processos do futebol quando deixou o DCIAP.

    “Dizia [aos magistrados]: ‘Investiguem o mais rapidamente possível, investiguem tudo o que tiverem para investigar, e, se precisarem de meios, peçam. Não quero saber o que está nos processos, sou conhecido como benfiquista e não me quero ver envolvido por essa questão’”, recordou, tendo clarificado que o DCIAP não concentrava todos os processos do futebol, pois alguns foram para o Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa e do Porto.

    As palavras do ex-diretor do DCIAP surgiram já na reta final de cerca de três horas de depoimento, essencialmente marcadas pela verificação de mais de uma centena de documentos retirados dos dispositivos apreendidos a Rui Pinto e apresentados pelo MP, desde ficheiros que poderiam estar no Sistema de Informações do Ministério Público (SIMP) ou até à própria caixa de correio eletrónica de Amadeu Guerra, onde existiam então 53.749 emails.

    Entre a informação alegadamente acedida pelo criador do ‘Football Leaks’, a quem são imputados pela acusação 307 acessos ao sistema informático da Procuradoria-Geral da República, Amadeu Guerra confirmou que estavam diversos processos “em segredo de justiça, como o processo de Tancos, o do BES ou a Operação Marquês”.

    O ex-diretor do DCIAP reconheceu também que acedia ao seu email a partir de casa, porque “estava convencido de que era seguro”. Todavia, assegurou que havia matérias que preferia falar pessoalmente com as pessoas em vez de trocar emails. “Todos nós, relativamente a aspetos que têm a ver com atividade mais sensível, como estratégias de investigação, não trocávamos através de computador: conversávamos diretamente. Mas trocava emails sobre processos que estavam em segredo de justiça”, notou.

    Com o fim da audição a Amadeu Guerra, o julgamento prossegue na quinta-feira a partir das 09:30, com a audição de testemunhas relacionadas com a sociedade de advogados PLMJ.

    Rui Pinto, de 31 anos, responde por um total de 90 crimes: 68 de acesso indevido, 14 de violação de correspondência, seis de acesso ilegítimo, visando entidades como o Sporting, a Doyen, a sociedade de advogados PLMJ, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Procuradoria-Geral da República (PGR), e ainda por sabotagem informática à SAD do Sporting e por extorsão, na forma tentada. Este último crime diz respeito à Doyen e foi o que levou também à pronúncia do advogado Aníbal Pinto.

    O criador do Football Leaks encontra-se em liberdade desde 07 de agosto, “devido à sua colaboração” com a Polícia Judiciária (PJ) e ao seu “sentido crítico”, mas está, por questões de segurança, inserido no programa de proteção de testemunhas em local não revelado e sob proteção policial.

    Nélson Oliveira espera um jogo equilibrado diante do SC Braga sapo.pt 21/10 - Quarta, às 18:51

    O avançado português do AEK Atenas Nélson Oliveira elogiou hoje o Sporting de Braga, mas considerou que o embate de quinta-feira, da Liga Europa de futebol, será "um jogo equilibrado".

    O ponta de lança de 29 anos, um dos quatro jogadores portugueses da equipa grega, disse esperar "um jogo equilibrado" diante de uma equipa que "conhece bem".

    "O Braga é uma boa equipa, organizada, com jogadores rápidos, têm bons valores individuais, tal como nós, que somos uma equipa agressiva no bom sentido coletivamente", disse.

    O internacional português destacou Fransérgio, Paulinho, Galeno e Ricardo Horta.

    "Conheço bem o Paulinho, porque começámos no mesmo clube, o Santa Maria, um clube de Barcelos. Comecei com oito ou nove anos e ele andava por lá, mas não falei com ele ainda", disse.

    Nélson Oliveira considerou que o Sporting de Braga se "destaca todas as épocas como equipa, é um clube bem organizado, com uma boa filosofia, seja o treinador que for, acaba por fazer um bom trabalho e valorizar os jogadores".

    O avançado revelou ser "especial" jogar em Portugal e contra um clube que conhece bem e no qual jogou nas camadas jovens.

    "Mas, mal comece, é um jogo normal e nós, jogadores, esquecemos essas coisas", disse.

    O treinador Massimo Carrera também elogiou o Sporting de Braga, "uma boa equipa, que joga um bom futebol e tem jogadores de qualidade e velozes".

    "Devemos estar muito concentrados e jogar o nosso futebol", disse o técnico italiano, de 56 anos.

    O treinador destacou ainda os "alas bem abertos e fortes no um contra um" dos minhotos, considerando que "não há favoritos para amanhã [quinta-feira]".

    "Todos os jogos são diferentes e qualquer das equipas pode vencer", disse.

    Sporting de Braga e AEK Atenas defrontam-se a partir das 20:00 de quinta-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo do grupo G que será arbitrado pelo francês Ruddy Buquet.

    Avançado do Santa Clara quer marcar frente ao Sporting sapo.pt 21/10 - Quarta, às 18:43

    O avançado do Santa Clara, Thiago Santana, disse hoje querer marcar frente ao Sporting, no jogo da quinta jornada da I Liga de futebol, destacando que a equipa açoriana vai jogar para a vitória.

    “Estou a trabalhar não só para fazer golo contra as equipas grandes como contra as outras também, porque são os mesmos três pontos. Penso que é isso o mais importante, mas espero fazer golo agora contra o Sporting”, afirmou Santana.

    O avançado brasileiro do conjunto açoriano falava hoje no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada, na antevisão à receção ao Sporting no próximo sábado.

    Apesar de salientar que o próximo jogo vai ser “complicado”, Santana assinalou que a equipa orientada por Daniel Ramos vai procurar conquistar os três pontos.

    “Vai ser um jogo difícil, vai ser um jogo complicado, mas nós vamos fazer o nosso jogo e tentar buscar os três pontos”, declarou.

    O atleta enalteceu também a presença de público no estádio de São Miguel, destacando que os adeptos “são muito importantes” para a equipa açoriana.

    A Liga e a Direção Regional da Saúde dos Açores autorizaram a presença de público até 10% da lotação do recinto no jogo Santa Clara – Sporting da quinta jornada da I Liga de futebol.

    A permissão de público no estádio de São Miguel surgiu após a Liga ter sugerido à Direção Regional da Saúde dos Açores (DRS) que aplicasse aos encontros do Santa Clara as normas regionais, que permitem a presença de público em eventos desportivos.

    Na jornada passada, com o golo marcado frente ao Paços de Ferreira (derrota por 2-1), Thiago Santana tornou-se o melhor marcador de sempre do Santa Clara na I Liga de futebol, com 12 tentos.

    “Significa muita coisa para mim, acho que no futebol temos de ter sempre um objetivo e o objetivo era chegar a esse patamar. Fico muito feliz de estar a fazer história no Santa Clara e espero continuar a fazer história no clube”, afirmou.

    O Santa Clara, quarto classificado, irá receber o Sporting, terceiro, numa altura em que ambas as equipas estão com sete pontos.

    O jogo está marcado para as 17:00 locais (menos uma hora do que no continente), no estádio de São Miguel, em Ponta Delgada.

    Jorge Jesus. “Queremos chegar ao fim da Liga Europa” rr.pt 21/10 - Quarta, às 16:21

    Benfica confirma favoritismo e quer vencer o Lech Poznan.

    Rúben Amorim suspenso seis dias por expulsão frente ao FC Porto TSF 21/10 - Quarta, às 16:02

    O treinador do Sporting foi expulso depois de Luís Godinho ter revertido a decisão de marcar uma grande penalidade a favor dos leões.

    Lech Poznan com coragem para defrontar "uma das melhores equipas da Europa" rr.pt 21/10 - Quarta, às 15:00

    Treinador da equipa polaca diz que o lugar do Benfica é na Liga dos Campeões. Na Liga Europa, os encarnados são os favoritos.

    Adversário do Benfica na Liga Europa com três casos de Covid-19 rr.pt 21/10 - Quarta, às 10:57

    Standard de Liège fica sem cinco jogadores para a receção ao Rangers. Treinador de guarda-redes também infetado.

    Taarabt de regresso aos convocados do Benfica rr.pt 21/10 - Quarta, às 07:57

    Cervi também foi chamado por Jorge Jesus para o jogo com o Lech Poznan, que marca a estreia do Benfica na fase de grupos da Liga Europa.